quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

CHICO XAVIER, o filme...

Quero agradecer à Rede Globo por estar
transmitindo o filme de Chico Xavier.
Já assisti no cinema e estou vendo de novo!
 
nair lúcia de britto

 

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

CHICO XAVIER

CHICO XAVIER (Brasil – 2010)

Por nair lúcia de britto


Este filme é mais do que um filme de amor, do mais puro amor do qual

Jesus falou, quando veio aqui à Terra. É uma bandeira branca, a mais linda

bandeira de PAZ, dessa paz que o mundo está precisando tanto!...

Conta a história de Chico Xavier, "o mineiro do século", como narra

o jornalista Luciano Napoleão e Silva, que cobriu vários eventos

relacionados à vida do maior médium do mundo. Ficou tão encantado e

surpreendido com o que viu que resolveu escrever um livro, publicado pela

Editora Lachátre (Bragança Paulista, 2004), para transmitir a outras pessoas

o encantamento que ele sentiu.

Marcos Bernstein foi quem escreveu o roteiro do filme, baseado na obra

literária de Marcel Souto Maior "As Vidas de Chico Xavier";

e Daniel Filho, com muita competência, o dirigiu. O filme está emocionando milhares de pessoas e sugerindo uma nova perspectiva de vida. A mensagem é fazer entender que os laços de família não se perdem com a morte

porque a alma é eterna, assim como o amor.

Os verdadeiros laços de família são eternos tanto na Terra como na Espiritualidade; fortificam-se e se renovam à cada reencarnação, desde que sejam laços de afeto.

Ou seja: "A afeição real da alma é a única que sobrevive à destruição do corpo, porque os que se unem apenas pelos sentidos não têm motivo algum para se procurarem no mundo dos espíritos.", diz o Evangelho, segundo Allan Kardec.

Chico Xavier já era médium desde menino, quando a mãe que ele perdera ainda

criança vinha conversar com ele, a fim de suavizar o sofrimento pelo qual Chico passava com os maltratos da madrasta. Nem o garoto, nem ninguém entendia os fenômenos que ocorriam com ele; nem mesmo o padre da sua paróquia.

Somente Emmanuel, seu mentor espiritual, iluminou-o, ajudando-o a cumprir

a nobre missão que lhe fora destinada.

"Tudo é amor, até o ódio que julga ser a antítese do amor é o amor que adoeceu gravemente"

"Nós precisamos do humorismo ou entraremos num clima de tensão que seremos considerados loucos."

"Um dos maiores pecados do mundo é diminuir a alegria dos outros"

Foram estas e muitas outras mensagens de Emmanuel, através de Chico.


 

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

P A S S I O N E

PASSIONE

 

Por nair lúcia de britto

 

Bem inteligente a trama da novela Passione, de Silvio de Abreu,

que logo despertou o interesse dos telespectadores pelo

desenrolar intrigante e fluente; sem nunca pecar pela monotonia.

Excelente escolha do elenco de atores; já consagrados, na maioria.

A maior estrela da novela foi Mayana Moura que interpretou Melina,

a personagem mais coerente da novela, apesar dos erros que

cometeu por amor. Alguns telespectadores reclamam que ela

não merecia terminar com o confuso e atrapalhado Mauro

(Rodrigo Lombardi). Eu já acho que ela merecia alguém mais

determinado!


A "Pituquinha" (Irene Ravache) e o "Mimoso" (Francisco Cuoco)

formaram o casal mais adorável da novela.


Reynaldo Gianecchini (Fred) aprimorou-se como ator e

Simone Gutierres (Lurdinha) revelou-se como uma excelente

atriz, bailarina espetacular e comediante rara.

 

Quanto ao roteiro, certos diálogos foram muito pesados

e grosseiros, como por exemplo entre a personagem

Clara (Mariana Ximenes) e a avó Valentina (Dayse Lúcide).


Os temas fortes e cenas de sexo, apresentados, foram exagerados,

rudes e chocantes. Os alertas são válidos. Só que o autor

deveria ter sido mais hábil e discreto ao focar situações graves,

decorrentes da miséria e do desleixo moral.

 

A bigamia também não tem desculpa e é um péssimo exemplo,

que só existe nos países menos desenvolvidos. Na vida de toda

pessoa o amor é único e eterno. Relações paralelas são paixões

carnais e passageiras. 


Crianças e adolescentes gostam de assistir as novelas da Globo,

assim como os adultos; e os pais não conseguem retirá-las da

frente da televisão, quando oportuno. Daí porque é imprescindível

que tanto as emissoras de tevê quanto os autores de novela

lembrem-se desse público jovem que os assistem, ao criar e

apresentar uma novela; que pode, inclusive, auxiliar na educação

e no conhecimento.

 

Fred vai para a cadeira pelo crime que Clara cometeu; e, ela, apesar

de tanta maldade, tem um final feliz.


Seja na vida real ou na arte é inadmissível o mal vencer o bem.



 

sábado, 8 de janeiro de 2011

ATIRE...

 

ATIRE A PRIMEIRA PEDRA AQUELE

QUE NUNCA PECOU...


Por: nair lúcia de britto


 

Quem não conhece essa célebre frase? Pois bem, ela é quase tão conhecida quanto ignorada. Isto porque um dos mais graves defeitos da humanidade é ver os erros dos outros e esquecer de olhar os seus.


Segundo São Mateus, Jesus pergunta: Por que vedes um argueiro

no olho do vosso irmão e não vedes a trave no vosso olho?


Para poder julgar a si próprio seria preciso se olhar no espelho,

se observar e se julgar como se estivesse olhando, observando e julgando

uma outra pessoa. Qual seria a conclusão desse julgamento?


Mas, por orgulho, é preferível não ver. É mais fácil dar uma importância exagerada aos defeitos dos outros;

por menores que sejam. Esta não é uma atitude compatível

com a caridade porque a verdadeira caridade é indulgente,

simples e modesta.


A caridade orgulhosa é um contra-senso porque o orgulho é um dos maiores obstáculos ao progresso; é também o pai de muitos vícios e a negação de muitas virtudes. Daí porque o orgulho é contrário às leis divinas.


Não julgueis para não seres julgados, porque sereis julgados segundo houverdes julgado os outros (São Mateus).


Isto não quer dizer que não devemos combater o mal. Reprimir o mal é quase um dever desde que o objetivo seja o bem-estar social.

O que é muito diferente de criticar alguém pelas suas más ações,

conduzido pelo sentimento de orgulho ou rancor, com a cega intenção de destruir a pessoa em questão, em vez

de tentar salvá-la.



(Texto inspirado no Evangelho segundo o Espiritismo, de Allan Kardec)


 

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

CINE ARTE POSTO 4 - DE 7 A 13 DE JANEIRO DE 2011 - OS HOMENS QUE NÃO AMAVAM AS MULHERES

Encaminhado por
Nair Lúcia de Britto
 



De 7 a 13 de Janeiro
"Os Homens Que Não Amavam As Mulheres"
(Män Som Hatar Kvinnor)
Dinamarca, Alemanha, Suécia / 2009/ 152 minutos / cor /  35mm
Gênero - Suspense
Direção – Niels Arden Oplev
Elenco - Michael Nyqvist, Noomi Rapace, Lena Endre, Peter Haber.
Inadequado para menores de 16 anos

homens_montagem.jpg


Harriet Vanger (Ewa Fröling) desapareceu há 36 anos, sem deixar pistas, na ilha de Hedeby. O local é de propriedade quase exclusiva da família Vanger, que o torna inacessível para a grande maioria das pessoas. A polícia jamais conseguiu descobrir o que aconteceu com a jovem, que tinha 16 anos na época do sumiço. Mesmo após tanto tempo, seu tio ainda está à procura de Harriet. Ele resolve contratar Mikael Bomkvist (Michael Nyqvist), um jornalista investigativo que trabalha na revista Millennium. Mikael não está em um bom momento, pois enfrenta um processo por calúnia e difamação. Ele aceita o trabalho, recebendo a ajuda de Lisbeth Salander (Noomi Rapace), uma investigadora particular incontrolável e anti social.

Sessões 16:00  e 20:00 horas



CRÍTICA - CELSO SABADIN - CINECLICK

Num primeiro momento, a simples menção de que um filme é co-produzido por Suécia, Dinamarca, Alemanha e Noruega pode provocar no imaginário coletivo a ideia de que se trata de uma produção lenta, talvez fria, provavelmente arrastada. Se este for seu caso, pode deixar o preconceito de lado: Os Homens que Não Amavam as Mulheres é um drama policial investigativo com mais sabor de cinema americano que propriamente de europeu.

Baseado no best seller homônimo de Stieg Larsson, o filme tem como personagem principal o jornalista investigativo Mikael, contratado pelo poderoso magnata Henrik para uma missão, no mínimo, curiosa: descobrir o paradeiro de sua sobrinha Harriet, desaparecida, talvez morta, em 1966. O milionário tem razões para acreditar que foi alguém de sua própria família - cruel e numerosa - o causador do desaparecimento da (então) garota. Caberá a Mikael descobrir quem, como e por quê. Pelo caminho, o jornalista passará a contar com a colaboração da estranha e violenta Lisbeth, uma bela garota também com segredos a esconder.

Como entretenimento, Os Homens que Não Amavam as Mulheres funciona. Há um certo clima de mistério sublinhado pelas gélidas e nebulosas paisagens suecas. Há um subtexto intrigante que remonta ao nazismo da Segunda Guerra, embora alguns momentos de violência sexual cheguem a perturbar.

Para apreciar melhor o filme, porém, é preciso fazer vistas grossas em alguns momentos, e baixar um pouquinho a bola do senso crítico: incomoda um pouco, por exemplo, a total facilidade com que os investigadores encontram registros policiais fartamente disponíveis (e em perfeito estado de conservação) de casos ocorridos há meio século. Mas são detalhes. Provavelmente os arquivos policiais suecos sejam bem mais organizados e limpos que os nossos. De uma maneira geral, são duas horas e meia que fluem com facilidade.

O roteiro bebe nos clichês do gênero policial sacramentado pelo cinema americano, com direito a uma dupla improvável de protagonistas/antagonistas que acabam se aproximando no final, quantidades industriais de informações disponíveis pela internet em rápidos segundos, e flashbacks explicativos de comportamentos doentios. Há até uma rápida perseguição automobilística no final... mas bem rápida... São cânones que aproximam esta produção europeia dos desgastados padrões norte-americanos, com leves delizes aqui e ali, mas sem se render totalmente ao puramente convencional. Ou seja: um filme com pretensões comerciais, sim, mas sem perder a dignidade narrativa.

Curiosidade: o autor do livro, assim, como o personagem principal do filme, também é um jornalista dono de uma revista, processado por um empresário.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Dia de Reis

MEC vai comprar 10 milhões de dicionários para escolas públicas


06/01/2011
Amanda Cieglinski
Repórter da Agência Brasil
Brasília – O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) vai comprar 10 milhões de dicionários de português para serem distribuídos às escolas públicas de educação básica em 2012. O órgão, uma autarquia do Ministério da Educação (MEC), é responsável pela aquisição e distribuição dos livros didáticos aos alunos da rede. O edital convocando as editoras será divulgado amanhã (7) noDiário Oficial da União.
Os dicionários deverão observar as novas regras estabelecidas pelo acordo ortográfico que entrou em vigor em 2009. A última vez que o FNDE distribui esse material foi em 2006, antes das mudanças. O prazo de adaptação às novas normas termina em 2012, de acordo com o decreto assinado há dois anos pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Segundo o diretor de Ações Educacionais do FNDE, Rafael Torino, os livros didáticos distribuídos, em 2009 e 2010, para alunos do ensino fundamental são adaptados. Agora, falta adequar os materiais dos estudantes do ensino médio. “Em 2012, renovaremos os livros do ensino médio e, então, teremos 100% dos materiais dentro da nova regra”, disse.
O custo previsto no edital para adquirir os dicionários é de R$ 100 milhões. As obras não ficarão nas bibliotecas – cada sala de aula de ensino fundamental e médio receberá um kit com dez títulos. Serão comprados dicionários de quatro tipos, com especifidades diferentes de acordo com a série dos estudantes: do 1° ano do ensino fundamental, do 2° ao 5 ano, do 6° ao 9° ano e das três séries do ensino médio. Os dicionários destinados às turmas do 1º ano do fundamental, que recebe crianças a partir de 6 anos para alfabetização, serão mais simples, com menos verbetes e letras maiores.
Torino calcula que o custo médio de cada exemplar será de R$ 10. As editoras terão 90 dias para inscrever as obras e os materiais serão distribuídos no início de 2012 para serem utilizados no próximo ano letivo.


Edição: Lana Cristina

Amargura

 

Amargura

 

Nada de amargura, só o gosto da erva

crua no espírito do doente por dentro,

mantendo os meus olhos abertos, para

essa negra realidade de homens e...

 ...mulheres que conseguem viver sem solidariedade,

mergulhados até a boca no sangue do iniquidade.

Nada de tristeza só a sombra da maldade

rondando as portas dos lares e conquistando

soldados para o exército capitalista.

Precisa-se de um coração com um mapa na

mão para achar um bom lugar para se fazer

uma oração até se chegar a uma epifania

durante esta estadia aqui neste mundo.

Deus não é o dinheiro, é o sentimento que

te leva a razão.

 

José Luiz Grando é poeta em Itajaí

E-mail: grandojl@yahoo.com.br


 

 

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

poesia

 

A TUA CHEGADA

 

Quando tu apareceste na minha vida,

Eu era um pouco infeliz,

Vivia sem felicidade,

Só existia um pouco de saudade,

Que o outro amor deixou fixado...

No meu peito tão amargurado.

 

Mas agora, com a tua chegada,

Chegou à luz para iluminar meus escuros dias,

Minhas noites sem luz,

Minha vida vazia.

 

Amor, eu te agradeço...

Por tudo que estas fazendo,

Estás me modificando!

Estás a me transformar!

Graças a Deus amor.

Que te encontrei para me amar.

                                                          Vivaldo Terres

 

 

 


 

Se certificó que el correo entrante no contiene virus.
Comprobada por AVG - www.avg.es
Versión: 8.5.449 / Base de datos de virus: 271.1.1/3356 - Fecha de la versión: 01/04/11 07:34:00

HISTÓRIA DO PECADO - LISBOA ED. GUERRA E PAZ


Encaminhado por
Nair Lúcia de Britto
Data: Segunda-feira, 3 de Janeiro de 2011, 23:15

THOMSON, Olivier, Historia do Pecado. Lisboa: ed. Guerra e Paz, 2010 (Ca. 372 pp. e 18 euros)
"Era delito comer carne à sexta-feira na Inglaterra isabelina, [séc. XVI - nota de Kriu] provavelmente devido à vontade de apoiar a frota pesqueira " (p. 63)

 
"Do mesmo modo, faz sentido seguir Aristóteles e Buda na escolha do «meio termo», nem demasiado puritano nem demasiado permissivo (...) : a História indica claramente que as sociedades extremadas têm sido as menos estáveis. Já vimos a importância de não deixar que a componente estatal de um sistema moral se torne dominante; as sociedades em que o patriotismo e outras virtudes machistas sejam considerados mais importantes tendem a precipitar-se em crises e prejudicar o sistema moral que pretendem proteger." (352)

"O desafio para o séc. XXI está em construir um novo ethos de maturidade baseado em objectivos positivos e não negativos; um ethos que tenha em conta a crise que o planeta e a população enfrentam, um código edificado na compaixão e não somente no medo" (p. 353)




--
Publicada por Blogger em Kriu a 1/03/2011 10:24:00 PM
 

 

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Bilhões de motivos para apostar na Copa do Mundo

 

Por Marcelo Gonçalves*

 

A realização no Brasil da Copa do Mundo de 2014 deverá provocar um impacto de R$ 183,2 bilhões na economia brasileira. Esta é a previsão do BNDES, instituição oficial que será responsável por financiar boa parte das obras para receber o maior evento do futebol mundial. O valor estimado equivale a quase 6% de toda a riqueza produzida no país em 2009, quando o PIB somou R$ 3,143 trilhões. Somente na área de turismo, a expectativa é receber ao longo do evento 600 mil estrangeiros e movimentar outros 3,1 milhões de brasileiros pelas cidades-sede do torneio.

 

Trata-se de uma notícia muito estimulante para o trabalhador e empreendedor brasileiro, já que a movimentação de recursos tão vultosos beneficiará diversos segmentos de nossa economia, em especial os setores de serviços e produtivo, gerando também milhares de empregos.

 

As perspectivas são especialmente boas para os jovens que estão entrando ou que iniciaram há pouco sua jornada no mercado de trabalho. As oportunidades a serem geradas até 2014 envolvem postos na construção civil; área de logística e transportes; indústrias de materiais de construção, produtos esportivos, eletroeletrônicos e brindes; prestação de serviços; segurança; educação; comunicação; alimentação; lazer; e turismo, entre outros.

 

O mercado de trabalho demandará profissionais nos mais variados estágios de formação, desde aprendizes, até pessoas experimentadas, com formação acadêmica e atividade prática de destaque. Para quem ainda estuda, os estágios e programas de trainee são o caminho mais direto para obter uma colocação em empresas que se envolverão com o evento. Os jovens profissionais terão a oportunidade de participar e contribuir com os projetos específicos destinados à Copa, ampliando sua experiência e diversificando a atuação. Já as pessoas mais experimentadas serão requisitadas para áreas de gestão, planejamento, supervisão e consultoria de apoio aos trabalhos.

 

Além das possibilidades com a geração de empregos, o momento da Copa do Mundo é ideal para o empreendedorismo. Um evento tão grande como esse é especialmente receptivo às novidades, ao diferencial, a ideias e produtos criativos e a novas opções de serviços. Mas há espaço também a atividades tradicionais e já consolidadas, desde que aplicadas e oferecidas de forma competente e com qualidade. Uma opção interessante nesse sentido é proporcionada pela abertura de unidades de franquia de negócios já estabelecidos, especialmente em áreas que serão estimuladas comercialmente pela realização da Copa, como as de alimentação e lazer.

 

As oportunidades são inúmeras, variadas e exigirão dedicação, envolvimento, conhecimento e competência daqueles que buscam uma colocação nesse momento diferenciado do país. Aos estudantes, profissionais e empreendedores caberá se preparar plenamente para que o mercado disponha de adequada oferta de mão de obra à demanda que evoluirá significativamente até 2014.

 

*Marcelo Gonçalves é sócio-diretor da BDO, responsável pela área de training no Brasil.

poema

Chamam-te de assombro

De descaso

Consigo mesmo

Com os seus

Com os outros

Chamam-te de indignado

Hei Rosa Parks...

Toma o teu assento...

Fica quieta

Hei Clara do Anjos

Fica quieta e

 Calada-te

Digam para o Nelson Bafana Bafana

Ficar na Ilha

Hei gente que reluz ao sol

Não marchem

Fiquem ai

Nas quadras

Nos campos

Nos tablados

Nos palcos

Hei mãos levantadas

Abaixem

Hei gente cor de ébano

Que lotam as carceragem

Fiquem aonde estão!

Hei preta gente

Que vai de graça

‘’Pro’’ presídio

Que vai de graça

Pros manicômios

Que sobem nas árvores

Fiquem ao estão

Não lutem

Fiquem quietos

Calados

Mudos

Sem nada dizer

Hei preta gente

Do continente inútil

Para onde vão nesses navios?

Construir um país?

Um país continente?

Gerar riquezas?

Subir em árvores?

Em contos infantis?

Para onde vai a negra gente

Do velho mundo!

Gente que samba

Gente que sonha

Hei negra gente

Que sorri

Com os dentes de marfim

Que brilha:

Nas quadras

Nos campos

Nos tablados

Nos palcos

Hei preta gente

Que luta

Por dias melhores

Para além dos:

Das quadras

Dos campos

Dos tablados

Dos palcos

Preta gente

Que mora no morro

Que luta

E sonho

Com um futuro melhor

Samuel C. Costa é poeta em Itajaí

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

Se certificó que el correo entrante no contiene virus.
Comprobada por AVG - www.avg.es
Versión: 8.5.449 / Base de datos de virus: 271.1.1/3342 - Fecha de la versión: 12/27/10 07:34:00

sábado, 1 de janeiro de 2011

CREIO EM DEUS, DE TODO CORAÇÃO...

 

CREIO EM DEUS, DE TODO CORAÇÃO

 

Nair Lúcia de Britto

Para acreditar, basta um olhar sobre o mundo. Ver o céu, os atros, os mares

e os rios; as árvores, os pássaros, as flores...

Olhai os lírios do campo...

Quem mais poderia criar algo tão perfeito?

.

Como é possível negar a existência de Deus se todo efeito tem uma causa. Deus é

é essa causa, jamais poderia ser o nada ou o acaso.

Que homem de bom senso poderia atribuir algum sinal de inteligência

num simples acaso?


A harmonia que regula as atividades do Universo, revela combinações e

fins determinados e, por isso mesmo, revela uma força suprema. O acaso

jamais poderia produzir os efeitos da inteligência, caso contrário

não seria mais acaso.


Acreditamos em Deus intuitivamente. Daí porque os povos mais primitivos

e selvagens acreditavam nessa força superior sem que ninguém

lhes tivesse ensinado.


Pela obra se reconhece o artífice, o provérbio é sábio.

Basta um olhar para a obra divina para se reconhecer Deus!

Também é possível reconhecê-Lo através das próprias ações:

se forem más e alimentadas pelo ódio, o homem estará cego para ver Deus

ou sequer perceber a sua existência.


Mas, se as suas ações se voltarem para o bem e alicerçadas no sentimento

de amor, o homem reconhecerá Deus, nosso Pai, no próprio coração.

 

(Texto inspirado no Livro dos Espíritos, de Allan Kardec – Capítulo Primeiro – Deus).


 

Grito Paulistano

Grito Paulistano : A voz do povo ecoando pelos bairros A 7ª edição da Virada Sustentável em São Paulo, que será realizada de 24 a 27 de ag...