quinta-feira, 24 de novembro de 2011

PNE em risco: A educação brasileira não pode esperar!












Posicionamento Público

PNE em risco: A educação brasileira não pode esperar!


Os adiamentos constantes na leitura do relatório substitutivo ao PL 8035/2010 desrespeitam a participação da sociedade civil e inviabilizam a construção dos planos de educação dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios




Brasil, 24 de novembro de 2011.


A Campanha Nacional pelo Direito à Educação, rede composta por mais de 200 organizações distribuídas por todo o país, lamenta mais um adiamento na leitura do relatório substitutivo do Deputado Angelo Vanhoni (PT/PR) ao Projeto de Lei 8035/2010, que trata do segundo Plano Nacional de Educação pós-redemocratização do Brasil.


Desde o início de novembro, ontem (23/11) foi a quarta vez seguida em que foi protelada a apresentação do texto. O Plano Nacional de Educação é um instrumento determinado pelo Art. 214 da Carta Magna. Após a Emenda à Constituição 59/2009, a missão do PNE passou a ser "articular o Sistema Nacional de Educação em regime de colaboração e definir diretrizes, objetivos, metas e estratégias de implementação para assegurar a manutenção e o desenvolvimento do ensino em seus diversos níveis, etapas e modalidades por meio de ações integradas dos poderes públicos das diferentes esferas federativas que conduzam a:


I - erradicação do analfabetismo;
II - universalização do atendimento escolar;
III - melhoria da qualidade do ensino;
IV - formação para o trabalho;
V - promoção humanística, científica e tecnológica do País.
VI - estabelecimento de meta de aplicação de recursos públicos em educação como proporção do produto interno bruto." (Art. 214, Constituição Federal de 1998)


A envergadura da missão constitucional do PNE torna inadmissível que a tramitação do projeto se encontre praticamente paralisada ou distante do debate público.


O trabalho das organizações, redes e movimentos educacionais resultou na apresentação recorde de 2915 emendas ao tímido projeto de PNE elaborado pelo Executivo Federal. Apenas as 101 sugestões originais apresentadas e defendidas pela rede da Campanha Nacional pelo Direito à Educação resultaram em mais de 31% de todas as emendas apresentadas ao PL 8035/2010. Todo o esforço de incidência política da sociedade civil na elaboração do PNE – que se desdobrou em centenas de audiências públicas, seminários e congressos que ocorreram em todos os cantos do país – está sendo ignorado e desrespeitado com os constantes atrasos na leitura do relatório. 


Do mesmo modo que a mobilização social é desconsiderada, Estados e Municípios anseiam pela aprovação do PNE no Congresso Nacional para construírem seus respectivos planos municipais e estaduais. Ou seja, além de um problema de respeito ao princípio constitucional da participação democrática, o congelamento da tramitação do Plano Nacional de Educação tem obstruído gravemente o planejamento dos rumos educacionais dos outros entes federados.


A justificativa para a demora na apresentação do substitutivo ao PL 8035/2010, produzido pelo relator Angelo Vanhoni (PT-PR), é a pressão exercida pela área econômica do Governo Federal, que é contrária a qualquer centavo de investimento acima de 7% do PIB em educação. Ao invés de compreender o PNE como um plano de Estado, amparado por uma demanda constitucional, o Governo Dilma prefere entendê-lo como uma ação de governo. Divulgada em agosto de 2011, uma Nota Técnica da Campanha Nacional pelo Direito à Educação mostra que com 7% do PIB de investimento em educação, o Brasil não conseguirá oferecer educação de qualidade aos seus cidadãos e cidadãs. Ou seja, o país permanecerá apenas ampliando o acesso à educação, sem considerar todos os aspectos envolvidos na consagração plena desse direito, o que resultará em agravamento das desigualdades socioeconômicas e civis historicamente verificadas no Brasil.


Desse modo, não basta ser divulgado o relatório. É preciso que ele seja apresentado com a definição de que em 10 anos o Estado brasileiro chegará a um nível de investimento em educação equivalente a 10% do PIB, sendo 7% um patamar inaceitável após tanto debate público. Também é preciso que o relatório do PNE corresponda às demandas da sociedade civil e reveja os mecanismos de avaliação da educação básica, determine meios para uma efetiva valorização dos profissionais da educação e, principalmente, garanta a implementação imediata do CAQi (Custo Aluno-Qualidade Inicial), em um percurso que culmine na efetivação do CAQ (Custo Aluno-Qualidade) em seis anos.


Portanto, tão urgente quanto a apresentação do relatório no plenário da Comissão Especial do PNE – que para ter sua aprovação ainda nesse ano na Câmara dos Deputados precisa ocorrer, já sob risco, até 29 de novembro de 2011 –, é preciso que o texto reflita um PNE pra Valer!


Diante da necessidade de apresentação do relatório substitutivo ao PL 8035/2010, a partir de hoje a Campanha Nacional pelo Direito à Educação empreenderá diversas ações de pressão para garantir a leitura do texto, no máximo, até o dia 30 de novembro de 2011. Nesse momento, é preciso que o Poder Legislativo tenha ousadia para aprovar um PNE pra Valer, um PNE que o Brasil quer e precisa.


Campanha Nacional pelo Direito à Educação


Comitê Diretivo Nacional 
Ação Educativa 
ActionAid Brasil
CCLF (Centro de Cultura Luiz Freire)
Cedeca-CE (Centro de Defesa da Criança e do Adolescente do Ceará)
CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação)
Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança e do Adolescente
Mieib (Movimento Interfóruns de Educação Infantil do Brasil)
MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra)
Uncme (União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação)
Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação)

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Quem tem medo da mamografia?


Dra. Maira Caleffi
Diariamente, me perguntam: por que tantas mulheres nunca fizeram a mamografia, mesmo tendo a indicação para o exame? Bem, são vários fatores, incluindo barreiras psicológicas. Um deles, e que muito aflige as mulheres, independente da faixa etária, é o medo. A mulher tem medo de fazer o exame e encontrar um nódulo, e isso pode significar descobrir a doença, lidar com o medo de perder o cabelo, a mama, a vaidade, a feminilidade... E as casadas temem até perder o marido, pois acham que vão ficar feias e acabar sozinhas. Fora isso, tem a preocupação com a morte. Como ficarão seus filhos e parentes caso isso ocorra?
Aliás, uma pesquisa encomendada pela FEMAMA para o Instituto Datafolha comprova isso. Entre as razões para não realizar a mamografia estava a falta de indicação do médico, o fato de assumir um descuido com a própria saúde e a dificuldade em marcar consultas. Mas entre o rol de pretextos estava também a falta de tempo ou de sintomas. E, claro, o medo de descobrir a doença ou de fazer o exame.





Medo esse que faz com que a mulher adie ou até "esqueça" de si mesma. Afinal, sabemos que 45,3% dos casos de câncer de mama são descobertos quando a doença já está muito avançada. A notícia que o câncer de mama tem até 95% de cura se descoberto cedo parece não ser ouvida. Por isso a mamografia é tão importante por mostrar lesões em fase inicial, medindo milímetros. O exame das mamas com o médico e por imagem deve ser realizado – sem medo e anualmente – por mulheres acima dos 40 anos de idade ou segundo recomendação médica, de acordo com o risco da paciente. Isso é tão importante que está assegurado em lei desde 2009 (Lei Federal 11.664). Então, não perca tempo. Procure seu médico e tire suas dúvidas. Tenha coragem de fazer os seus exames de rotina, por você.

* Presidente da FEMAMA - Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama e do IMAMA - Instituto da Mama do RS

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Especialista contesta decisão do Estado de estender o limite de idade para aluno se matricular no 1º ano


O Conselho Nacional de Educação estabeleceu nos últimos dias que a partir de 2012 só poderão ser matriculadas no primeiro ano do Ensino Fundamental as crianças que completarem seis anos até o dia 31 de março. Em São Paulo, as matrículas para alunos da rede pública já se encerraram. Por essa razão, o Conselho Estadual de Educação decidiu estender a data para 30 de junho. Contrário à decisão do Estado, João Cardoso Palma, professor da Unesp de São Paulo e membro do Conselho Estadual de Educação aponta os possíveis problemas com crianças menores de seis anos matriculadas na primeira série do Ensino Fundamental. 
Ouça o Podcast Unesp:



 
Assessoria de Comunicação e Imprensa da Unesp

Artigo / Por que não se vai mais a museus?

 

Marcos Hiller *

 

Atualmente, o cidadão contemporâneo se vê diante de uma variedade de ofertas de entretenimento, produtos e serviços jamais vista. Paralelo a isso, os meios tradicionais de comunicação carregam uma inédita descrença por parte desse consumidor. E como pano de fundo disso, percebe-se na contemporaneidade, um cidadão com um nível de exigência visivelmente atípico, e com uma vasta possibilidade de formas de entretenimento e consumo de cultura em geral. E é justamente nesse contexto em que cidadãos, consumidores de entretenimento, tendem a se conectar a experiências mais relevantes e que estejam alinhadas com seu estilo de vida e, mais que isso, que não o transformem em mais uma pessoa sucumbida à massa. As pessoas hoje definem determinadas experiências de consumo como representantes de algo mais do que experiências aparentemente comuns de consumo.

E por que não se vai a museus? Essa pergunta transita nas cabeças dos principais curadores de arte e diretores culturais do país. E uma série de hipóteses pode ser listada no sentido de compreender e elucidar esse problema. Museu é cansativo e na primeira saída o visitante vai embora, ou então perde muito tempo tentando entender a obra e esquece de se entreter. Dentro dessa hipótese, vale destacar o que cidades como Bilbao, na Espanha, fizeram. Algumas agências de turismo, no momento de desenhar rotas de passeio para turistas estrangeiros, colocaram a visita ao Museu Guggenheim justamente nos momentos de descanso.

O fato é que hoje se evidencia uma crise no consumo de museus. Em uma rápida comparação com outras formas de consumo cultural, no teatro e no cinema, por exemplo, o espectador fica sentado e também absorve e consome cultura com um nível menor de esforço. Outro indício forte é que, por conta de avanços tecnológicos, outras formas de entretenimento, como a Internet e o uso de redes sociais, ganham uma envergadura bastante latente. Até mesmo a tradicional indústria do cinema, ainda assim, apresenta performances bastante satisfatórias, financeira e midiaticamente falando.

O que falta fazer para que o consumo de arte, de cultura, de museus ganhe mais visibilidade? O que esse texto se propõe fazer, ou seja, trazer essa discussão para o debate, já é um começo importante. Outra hipótese evidente é que arquitetos, curadores de exposições e profissionais de arte possuem conhecimentos de marketing relativamente incipientes. Aqui vale desdobrar outro questionamento: essa incumbência pertence a esses profissionais?

Por exemplo, o arquiteto que, durante a idealização do projeto, decide colocar uma escada na entrada do museu, tem conhecimento que estudos hoje mostram que cada degrau na frente de uma loja representa 5% a menos de visitação? Ou então: um diretor de um museu que contrata e treina funcionários de linha frente, sabe que 70% dos fatores que fazem clientes não comprarem novamente de uma empresa são relacionados a problemas de atendimento?

O que é possível identificar no processo de marketing de experiência é a busca pelo momento único de consumo, por um processo de encantamento exclusivo, sofisticado e que vise diferenciações máximas. E no segmento de museus, fundamentalmente em exemplos brasileiros, percebe-se uma completa despreocupação nesse sentido. O design sofisticado da arquitetura dos prédios busca sim um impacto visual, mas a forma como de divulgação das exposições, o treinamento de funcionários e a preocupação com a marca do museu evidencia uma lacuna nesse campo e, consequentemente, um convite para pesquisadores se concentrarem nesse tema.

 

*Marcos Hiller é Coordenador do MBA em Gestão de Marcas (Branding) da Trevisan Escola de Negócios (@marcoshiller).


sexta-feira, 11 de novembro de 2011


ASCO HOMENAGEIA DEDÉ E LANÇA CAMISETAS COMEMORATIVAS
Loja virtual Gigante da Colina prestigia autor dos dois gols contra o peruano Universitario


A Gigante da Colina (www.gigantedacolina.com.br), loja virtual oficial do Vasco, homenageia um dos heróis da classificação cruzmaltina à semifinal da Copa Sul-Americana, o zagueiro Dedé. A loja online inicia a pré-venda de dois modelos de camisetas comemorativas do autor dos dois gols da vitória por 5 a 2 sobre o time peruano Universitario. Os torcedores do Vasco podem comprar cada peça por R$ 49,90 e receber em qualquer lugar do País.

A caricatura de Dedé, o escudo do Vasco e os dizeres “Club de Regatas Vasco da Gama” estampam a camiseta branca. Já o modelo na cor preta remete ao número 26 do Jogador e também ao local da partida classificatória, São Januário.

A Gigante da Colina, administrada pela Netshoes, iniciará as entregas a partir do dia 18 de novembro.

PRÉ-VENDA - CAMISETAS COMEMORATIVAS DO DEDÉ
Preço: Por R$ 49,90 ou 2x de R$ 24,95 cada
www.gigantedacolina.com.br
Entregas a partir do dia 18 de novembro.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011


Pronunciamiento

CLACSO expresa su más enfático repudio e indignación ante el asesinato de los estudiantes de la Universidad Nacional Autónoma de Honduras - UNAH, Rafael Alejandro Vargas Castellanos, hijo de la Rectora de dicha institución, y de Carlos Pineda, quienes cursaban las carreras de sociología y derecho respectivamente.
Nos sumamos así al conjunto de organizaciones que exigen la urgente y enérgica investigación de estos crímenes, llevados a cabo en el marco de una intensa ola de violencia que ha cobrado la vida de decenas de dirigentes estudiantiles, políticos, sindicales y sociales en el país.
Exigimos justicia e instamos a que el respeto inalienable de los derechos humanos sea la base sobre la que se edifique una democracia estable en Honduras.

Buenos Aires, 28 de octubre de 2011

Comité Directivo de CLACSO
Emir Sader - Secretario Ejecutivo

Lançada a maior Rede Social de Voluntários e ONGs do Brasil


"Você só poderá viver um dia perfeito se fizer algo por alguém que nunca poderá lhe pagar." Martín Luther King

Foi lançada a rede social do Planeta Voluntários,já considerado o Maior Portal de ajuda humanitária do Brasil, com uma expectativa de cadastrar milhares de ONGs e instituições beneficentes, e do outro lado cadastrar mais de 1 milhão de voluntários.

Iniciativa:
O Planeta Voluntários é um site não governamental, apartidario e ecumênico, criada em maio de 2009 por iniciativa do empresário Marcio Demari, da empresa Demari & Ferreira, sediada em Londrina, Paraná, no Brasil, com a visão de desenvolver a cultura do trabalho voluntário organizado, que levará o serviço voluntariado a auxiliar milhões de brasileiros e entidades que necessitam de todo tipo de ajuda;a missão é a de conectar pessoas, que, através da transformação pessoal e social, destinam-se a construir uma solução justa, pacífica e sustentável para o mundo, refletindo a unidade de toda a humanidade. O site conta agora com uma Rede Social que cruza as informações dos voluntários com as instituições cadastradas, sendo um elo entre elas.
 Meta:
A meta é ser o elo entre as pessoas que desejam colocar suas habilidades e seu tempo à disposição de organizações não governamentais e as organizações que necessitam desses voluntários para prestar serviços de melhor qualidade para quem precisa.

Lançado o Desafio:
O desafio do mundo é uma chamada para a ação Global, uma busca por soluções de assuntos como a pobreza, a fome e a poluição, que são visíveis onde vivemos.
A pobreza afeta a vida de 20 milhões de brasileiros. Dentre eles, as crianças, que são perto de um terço do desenvolvimento do mundo. Precisamos alimentar o futuro, melhorar o acesso à educação, desenvolver oportunidades e transformar essa cruel realidade.
Doe uma porção do seu tempo para a caridade e faça parte do time para acabar com a pobreza. Descubra como você, sua empresa ou organização podem fazer a diferença.
Todos serão mais ricos sem a pobreza.
Vamos juntos restabelecer a esperança e resgatar a dignidade daqueles que as perderam na injustiça social.

Nós, do Planeta Voluntários, convidamos você a servir e a apoiar os outros com devoção e compaixão. Começando com a nossa própria transformação pessoal e, mediante serviço, por fazer a diferença, é a forma como nós acreditamos que vamos chegar a essa massa crítica de pessoas que, juntas, emerge como a nova humanidade.
 Junte-se a nós.
 Marcio Demari é Empresário em Londrina, Pr. Além de fundador e Presidente do Portal Planeta Voluntários.
Apoio: Sercomtel
 "Nenhum de nós é tão forte quanto todos nós juntos."
Ajude-nos a ajudar!
Cadastre-se agora sua instituição ou como voluntário: http://www.newsdoplaneta.com.br                    
A maior Rede Social de Voluntários e ONGs do Brasil !

Médicos e entidades da sociedade civil lançam Movimento em Defesa do SUS




Veja abaixo Manifesto assinado por entidades signatárias do movimento


A Associação Paulista de Medicina (APM), Associação Médica Brasileira (AMB), a Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo),  o Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP), Idec, ProTeste e dezenas de entidades médicas e da sociedade civil (lista abaixo) acabam de lançar o Movimento Saúde e Cidadania em Defesa do SUS, por assistência médica de qualidade à população, considerando que o Sistema Único de Saúde é patrimônio de todos os brasileiros.
Partindo do princípio de que o acesso ao atendimento de qualidade é um instrumento de justiça social, o Movimento Saúde e Cidadania em Defesa do SUS terá atuação permanente para encaminhar sugestões e fiscalizar o setor.

Um dos próximos passos deve ser o agendamento de encontros com autoridades responsáveis e governantes, para solicitar providências urgentes no sentido de garantir o respeito ao Artigo 196 da Constituição Federal que estabelece: “A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.”

Algumas das principais reivindicações do Movimento Saúde e Cidadania em Defesa do SUS são:

Assistência de qualidade à população;
Mais recursos para a saúde pública;
Valorização dos profissionais de saúde;
Apoio aos hospitais filantrópicos;
Reajuste da Tabela do SUS.

Informações sobre o Movimento podem ser acompanhadas no site www.emdefesadosus.org.br, onde, inclusive, é possível aderir ao Movimento. 



Manifesto

A sociedade brasileira é marcada por desigualdades, o que sabemos condicionar o próprio desenvolvimento do país. Por isso, é fundamental investir em saúde, fazendo do seu acesso um instrumento de justiça social. Neste sentido, a criação do Sistema Único de Saúde (SUS), em 1988, foi uma grande conquista da sociedade brasileira, ao escrever na nova Constituição que saúde é direito de todos e dever do Estado. Ao longo desses mais de 20 anos, houve avanços significativos nesta proposta.

No entanto, prevalecem enormes desafios para cumprir os princípios de equidade, integralidade e universalidade do SUS. É marcante a dificuldade de muitos brasileiros para obter atendimento, principalmente nas periferias urbanas e nas áreas mais distantes dos grandes centros. Outra prova cabal das deficiências na assistência é o crescimento progressivo do mercado de planos de saúde, e nem sempre com a qualidade que se espera.

Entendemos que o SUS não consegue atender plenamente as necessidades da população e seu financiamento é totalmente insuficiente. Para se tornar um país desenvolvido, o Brasil precisa seguir o que as nações de primeiro mundo e da própria América do Sul já estão investindo hoje em saúde, isto é, em média, no mínimo 10% do Produto Interno Bruto (PIB), sendo 70% de investimento público. Atualmente, aplicamos 8% do PIB, mas 4,5% relativos ao sistema privado e apenas 3,5% em saúde pública, ou seja, metade do que seria o mínimo adequado, ainda mais tendo em vista nossa proposta de atendimento integral.

Além disso, os recursos públicos na saúde precisam ser bem geridos, com transparência, controle da sociedade e alocação dessas verbas de forma bem estruturada para que possam melhor contemplar as necessidades da população.

Dessa forma, o Movimento Saúde e Cidadania em Defesa do SUS reivindica:
 
Assistência de qualidade à população;
Mais recursos para a saúde pública;
Valorização dos profissionais de saúde;
Apoio aos hospitais filantrópicos; e
Reajuste da Tabela do SUS.

O objetivo é chamar a atenção da opinião pública, dos governantes e dos órgãos competentes para a urgente consolidação do Sistema Único de Saúde, que é patrimônio de todos os brasileiros. Vamos juntos defender o SUS, por assistência médica de qualidade à população.


APM – Associação Paulista de Medicina
AMB – Associação Médica Brasileira
Academia de Medicina de São Paulo
OAB-SP – Ordem dos Advogados do Brasil - Seção São Paulo
AMB – Associação dos Magistrados Brasileiros
FPS – Frente Parlamentar da Saúde
Pastoral Nacional da Saúde / CNBB - Conferência Nacional dos Bispos do Brasil
CMB – Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas
FEHOSP – Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo
ISCMSP – Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo
FIESP / COMSAÚDE – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo / Comitê da Cadeia Produtiva da Saúde
ACSP – Associação Comercial de São Paulo
COREN-SP – Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo
PROTESTE – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor
IDEC - Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor
SINDHOSP – Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios
FEHOESP – Federação dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo
ANAHP – Associação Nacional dos Hospitais Privados
ABCD – Associação Brasileira dos Cirurgiões Dentistas
APCD – Associação Paulista dos Cirurgiões Dentistas
CROSP – Conselho Regional de Odontologia de São Paulo
ACT – Aliança de Controle do Tabagismo
SESCON-SP – Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas no Estado de São Paulo
Sociedade Brasileira de Cardiologia
Sociedade Brasileira de Clínica Médica
Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão
Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear
Sociedade Brasileira de Nefrologia
Academia Brasileira de Neurologia
Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem
Sociedades de Especialidades Médicas do Estado de São Paulo
Regionais da Associação Paulista de Medicina

Partes Mirim: 4/11/2011_FESTIVAL LITERÁRIO DE SÃO JOSÉ DOS PINHA...

Partes Mirim: 4/11/2011_FESTIVAL LITERÁRIO DE SÃO JOSÉ DOS PINHA...: Primeiramente é preciso agradecer a DEUS , pela grande oportunidade que o AMOR nos proporciona quando realizamos um trabalho como este! Livr...

sábado, 5 de novembro de 2011

I Encontro de Políticas para as Artes, da Funarte

Funarte realiza I Encontro de Políticas para as Artes
Aberto ao público e gratuito, evento reúne artistas, estudiosos e produtores de arte, nos dias 8, 9 e 10 de novembro, no Rio, com mesas-redondas, conferências e mostras artísticas

Foto-leganda:Palhaco Topetao, no aniversario da Escola Nacional de Circo - 2005. Foto S. Castellano

Para promover a reflexão sobre as políticas para as artes, em âmbito nacional, e contribuir com sua formulação e aperfeiçoamento, a Fundação Nacional de Artes realiza, pela primeira vez, o Encontro Funarte de Políticas para as Artes, de 8 a 10 de novembro, no Palácio Gustavo Capanema, no Rio de Janeiro. Aberto ao público, em geral, o evento reúne especialistas, artistas, estudiosos e interessados na área, que vão divulgar trabalhos e debater sobre ideias e ações ligadas à cultura.
O Encontro oferece quatro atividades: uma mesa de experiências, com palestras de produtores, artistas e pesquisadores, que apresentam projetos bem-sucedidos; uma mesa com exposições de estudos acadêmicos; grupos de trabalho de boas práticas, para debates sobre realizações inovadoras e de sucesso; e ainda uma mostra artística com professores e alunos da Escola Nacional de Circo, da Funarte, além de outros artistas, contemplados em programas da Fundação. Participam do evento nomes importantes do cenário cultural e representantes de instituições, como o Centro Cultural Banco do Brasil; o Instituto Oi Futuro; o Sebrae-RJ; o Instituto Overmundo; Secretarias do Ministério da Cultura – como a de Políticas Culturais, de Fomento e Incentivo à Cultura, Articulação Institucional e a de Cidadania Cultural – e outras instituições do MinC, como o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e a Biblioteca Nacional; além da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro.
As discussões seguem os seguintes eixos temáticos: arte e tecnologias digitais; fomento; artes e economia criativa; gestão de políticas culturais; arte e sustentabilidade; e também memória e preservação. O objetivo do evento é promover o debate qualificado sobre as políticas para o setor artístico no Brasil e, ainda, divulgar pesquisas, reflexões históricas e trabalhos práticos. A proposta é fortalecer a atuação de instituições, da sociedade civil e de agentes culturais, que produzem e difundem a arte brasileira.
O Presidente da Funarte, Antonio Grassi, que abre os trabalhos, no dia 8, destaca que o 1º Encontro de Políticas para as Artes está de acordo com a missão institucional da Fundação, responsável pela promoção e o incentivo à produção, à prática e ao desenvolvimento das ações artísticas e culturais no Brasil. "Este evento é inédito e promete tornar-se uma referência importante para o setor. Nossa expectativa é de que esta ação colabore para estimular a arte no País", diz Grassi.
I Encontro Funarte de Políticas para as Artes
8, 9 e 10 de novembro de 2011
Mais informações na página  www.funarte.gov.br/encontro
Local: Palácio Gustavo CapanemaRua da Imprensa, 16, Centro, Rio de Janeiro (RJ)
Auditório Gilberto Freyre (Mezzanino)Auditório Moniz Aragão (7º andar)Sala Portinari (2º andar)
Realização: Fundação Nacional de Artes – Funarte
Mesa de Abertura
8 de novembro, terça-feira, às 14h
Auditório Gilberto Freyre
Antonio Grassi, Presidente da Funarte
Myriam Lewin, Diretora-Executiva da Funarte
Henilton Menezes, Secretário de Fomento e Incentivo à Cultura do MinC
Bernardo Machado, Secretário Substituto de Articulação Institucional do MinC 
Ana Claudia Souza, Diretora do Centro de Programas Integrados
Xico Chaves, Diretor do Centro de Artes Visuais
Antônio Gilberto, Diretor do Centro de Artes Cênicas
Bebeto Alves, Diretor do Centro de Música

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Estatuto de Poeta em Francês, Edição Bilingue, Silas Correa Leite




ESTATUTO DE POETA EM FRANCÊS


Edição Bílingue Português e Francês


Autor Silas Correa Leite, Estância Boêmia de Santa Itararé das Letras, São Paulo, Brasil – In, Porta-Lapsos, Poemas, All-Print Editora


Tradução para o idioma francês: JOSÉ BARBOSA LEITE


Artigo Um
Todo Poeta tem direito de ser feliz para sempre,
mesmo até muito além do para sempre, ou quando
eventualmente o "para sempre" tenha algum fim.
Artigo Dois
Todo Poeta poderá dividir sua loucura, paixão e
sensibilidade com mil amores, pois a todos realmente
amará com o mesmo prelúdio nos olhos, algumas asas
nas algibeiras e muitas cítaras encantadas na alma,
ainda assim, sem lenço e sem documento.

Statut de Poète (Premier Brouillon Pour un Croquis de Projet
Suffisant, Total et Sans quelque restriction)
Article Un
Tout Poète a droit d'être heureux pour toujours, même jusqu'à bien
au-delá de pour toujours, ou quand éventuellement la " ; pour
toujours " ; il ait quelque fin.
Article Deux
Tout Poète pourra diviser sa folie, passion et sensibilité avec mille
amours, donc à tous réellement il aimera avec le même prélude
dans les yeux, quelques ailes dans les poches et beaucoup de
cithares enchantées dans l'âme, encore ainsi, sans mouchoir et
sans document.
Parágrafo Único
Nenhum Poeta poderá ser traído, a não ser para que a
pobre ex-Musa seja infeliz para todo o resto dos dias
que lhe caibam na tábua de carne desse Planeta Água.
Artigo Três
Nenhum Poeta padecerá de fome, de tristeza ou de
solidão, até porque a tristeza é a identidade do Poeta,
a solidão a sua Pátria, sendo que, a fome pode muito
bem ser substituída num abismo terminal por rifle ou
cianureto. E depois, um poeta não precisa de solidão
para ser sozinho. É sozinho de si mesmo, pela própria
natureza, com seus encantários, santerias, ninhais,
mundo-sombra e baladas de incêndio.
Artigo Quatro
A Mãe do Poeta será o magno santuário terreal de seus
dias de lutas e sonhos contra moinhos e erranças de
gracezas e iluminuras.
Filho de Poeta será como caule ao vento, cálice de
liturgia, enchente em rio: deverá adaptar-se ao Pai
chamado de louco por falta de lucidez de comuns
mortais ou velado elogio em tácita inveja espúria.
Paragraphe Unique
Aucun Poète pourra être trahi, excepté pour que le pauvre ex-Musa
soit malheureux pour tout le reste des jours qui lui contiennent dans
la table panneau de viande de cette Planète de l’eau.
Article Trois
Aucun Poète souffrira de faim, de tristesse ou de solitude, même
parce que la tristesse est l'identité du Poète, la solitude sa Patrie, en
étant que, la faim peut très bien être substituée dans un abîme
terminal par fusil ou cyanure. Et ensuite, un poète non précis de
solitude pour être seul. C'est seul de lui même, par la nature elle-
même, avec leurs enchants, santerias, bers des oiseaux, brune-
monde et ballades d'incendie.
Article Quatre
La Mère du Poète sera le grand sanctuaire terreal de leurs jours de
luttes et rêves contre des moulins et grand erreurs de graces et
iluminures.
Fils de Poète sera mange tige au vent, calice de liturgie, inondation
dans fleuve : devra s'adapter au Père appel de fou faute de lucidité
de communs mortels ou veillé compliment dans tacite envie fausse
et spurie.

Artigo Quinto
Nenhum Poeta será maior que seu país, nenhuma
fronteira ou divisa haverá para o Poeta, pois sua
bandeira de luz-cor será a justiça social, pão, vinho,
maná, leite e mel, além de pétalas e salmos aos que
passaram em brancas nuvens pela vida. E depois, uns
são, uns não, uns vão, uns hão, uns grão, uns drão – e
ainda existem outros.
Artigo Sexto
A todo Poeta será dado pão, cerveja, amante e paixão
impossível, o que naturalmente o sustentará mental e
fisiológicamente em tempos tenebrosos ou de vacas
magras, de muito ouro e pouco pão.
Artigo Sétimo
Nenhum Poeta será preso, pois sempre existirá, se
defenderá e escreverá em legítima defesa da honra da
Legião Estrangeira do Abandono, à qual se sabe
pertencer, com seu butim de acontecências, ou seu
não-lugar de, criando, Ser, estar, permanecer,
continuar, feito uma letargia, um onirismo, uma
catarse, ou um surto psicótico que os anjos chamam
alumbramento terçã.

Article Cinquième
Aucun Poète sera plus grand que son pays, aucune frontière ou
devise aura pour le Poète, donc son drapeau de lumière-couleur
sera la justice sociale, le pain, le vin, la manne, le lait et le miel,
outre des pétales et des psaumes auxils lesquels ont passé dans de
blancs nuages par la vie. Et ensuite, ils sont, non, vont, uns ont, un
grain, une moulin - et ils encore existent autres.
Article Sixième
Pour tout les Poètes sera donné du pain, de la bière, en aimant et
de la passion impossible, ce qui naturellement le soutiendra mental
et physiologiquement dans des temps ténébreux ou de vaches
maigres, de beaucoup d'or et de peu de pain.
Article Septième
Aucun Poète sera prisonnier, donc toujours il existera, se défendra
et écrira dans légitime défense de l'honneur de la Légion Étrangère
de Abandonement, auquel il se sait appartenir, avec sien butim
d'acontecências, ou sa place de, en créant, Être, être plus um fois,
rester, continuer, fait une léthargie, une onirisme, une catharsis, ou
un foyer psychotique que les anges appellent Le tierce alumbrament
Artigo Oitavo
A infinital solidão do espaço sempre atrairá os Poetas.
Artigo Nono
Caso o Poeta "viaje fora do combinado", tome licor de
ausência ou vá morar no sol, nunca será pranteado o
suficiente, nem lhe colocarão tulipas de néon, dálias
aurorais, estrelícias de leite ou dente-de-leão sob o
corpo que combateu o bom combate. Será servido às
carpideiras, amigos, parentes, anjonautas e guardiões,
vinho de boa safra por atacado, cerveja preta mais
bolinhos de arroz, pão de minuto e cuque de fubá
salgado.

Article Huitième À infinital solitude de l'espace toujours il attirera les
Poètes.
Article Neuvième
Cas le Poète " ; il voyage excepté de combination",qu’ il prenne de
la liqueur d'absence ou aille vivre dans le soleil, jamais ne sera pas
pleuré assez, ni lui ne placeront pas de tulipes de néon, lês dálies
de l’ aurore, estrelícies de lait ou pissenlit sous le corps qui a
combattu le bon combat. Il sera servi aux carpideirèes, à amis, à
parents, à des voyzgeurs d’espace et à gardiens, à vin de bonne
récolte en gros, à bière noire plus petits gâteaux de riz, à pain de
minute et cuque de fubá salée.

Artigo Décimo
Poeta não precisará mais do que o radar de seus olhos,
as suas mãos de artesão sensorial no traquejo do
cinzel interior, criativo, mais sua aura abençoada e seu
halo com tintas de luz timbral para despojar
polimentos íntimos em verso e prosa, como
pertencimentos-quireras, questionários e renúncias.
Artigo Décimo-Primeiro

Poeta poderá andar vestido como quiser, lutar contra
as misérias e mentiras do cotidiano (riquezas impunes,
lucros injustos, propriedades roubos), sempre
buscando pela paz social, ou ainda mamando na utopia
de uma justiça ético-plural-comunitária. Quem gosta
de revolução de boteco é janota boçal metido a
erudição alcoólica e pseudo-intelectual seboso e
burguês. Poeta gosta mesmo de humanismo de
resultados. De pegar no breu. A luta continua! Saravá,
Brecht!

Article Dixième
Poète dont n'aura besoin plus le radar de leurs yeux, leurs mains
d'artisan sensoriel dans la experience artesanal de cinzel intérieur,
créatif, plus leur dorée bénie et leur halo avec des encres de lumière
timbral pour dépouiller des polissages intimes dans vers et causent,
mange des pertenciments de rêve, questionnaires et résignations.
Article Onzième
Poète pourra marcher tenue comment vouloir, combattre les
misères et les mensonges du quotidien (richesses impunis, profits
injustes, propriétés vols), toujours en cherchant par la paix sociale,
ou encore téter dans l'utopie d'une justice étic-plural-comunitère.
Qui aime révolution fait em petit bar est un janote embout mis
l'erudição alcoolique et la pseudo intlectuèlle grasse de les le
bourgeois. Poète aime même l’ humanisme de vrai e eftives
résultats. De recueillir dans le brai. La lutte continue ! Saravá,
Brecht !

Artigo Décimo-Segundo
Poeta pode ser Professor, Torneiro-Mecânico,
Operário, Ourives, Jardineiro, Fabricante de Bonecas,
Vigia-Noturno, Engolidor de Fogo, Entregador de
Raposas, Dono de Bar ou Encantador de Freiras
Indecisas. Poeta só não poderá ser passional,
insensível, frio ou interesseiro. Ao poeta cabe apenas
o favo de Criar. O poeta escreve torto por linhas tortas
(um gauche), poesilhas (poesia rueira e descalça) e
ficção-angústia. Escreve (despoja-se) para não ficar
louco...para livrar do que sente. O Poeta, afinal, é um
"Sentidor" com sua angústia-vívere
Artigo Décimo-Terceiro
Se algum Poeta for acusado levianamente de alguma
eventual infração ou crime, a dúvida o livrará de ser
apenado. E se o Poeta dizer-se inocente isso superará
palavras acima de todos e sua fala será sentença e lei
sagracial. A ótica do Poeta está acima de qualquer
suspeita, e ele sempre é de per-si mesmo o local do
crime da viagem de existir. Mas pode colaborar com as
autoridades, cometendo um crime perfeito. Afinal, só
os imbecis são felizes.

Article Douzième
Poète peut être Enseignant, Tournièr - mécanique, Ouvrier, Orfèvre,
Jardinier, Fabricant de Poupées, guard dans La nuit, avaleteur de
feu,transporteur de renards, Propriétaire de Barre ou Charmeur
fascinateur de Soeurs Indecises. Poète ne pourra seulement pas
être passionnel, insensible, froid ou intéressé. Au poète contient
seulement l'alvéole De créer. Le poète écrit tors par des lignes des
tourtes (un gauche), poesilhas (poésie de las rues ouvertes et
déchausses et la ficcion - angustie. Il écrit (il se dépouille) pour que
ne soient pas fou… pour exempter dont il sent. Le Poète, après tout,
est une " ; Sentidor" ; avec sien “angústia-vívere”
Article Treizième
Si quelque Poète soit accusé frivolement de quelque éventuelle
infraction ou de crime, le doute l'exemptera d'être puni. Et si le
Poète se dit innocent cela dépassera des mots au-dessus de tous et
sa parole sera jugement et loi sagracial. L'optique du Poète est au-
dessus de quelconque soupçonne, et il toujours est de per-si même
le lieu du crime du voyage de d'exister. Mais il peut collaborer avec
les autorités, en commettant un crime parfait. Après tout, seulement
les imbéciles sont heureux.
Parágrafo Único
Poeta não erra. Refaz percursos. Poeta não mente.
Inventa o inexistente, traduz o impossível, delata o
devir. Poeta não morre. Estréia no céu. Poeta padece
fibra por fibra no ser-se de si mesmo
Artigo Décimo-Quarto
Aos Poetas serão abertas todas as portas, até as
invisíveis aos olhos vesgos e comuns dos mortais
anônimos, serão abertos todos os olhos, todas as
almas, todos os caminhos, todas as chamas, todos os
cântaros de lágrimas e desejos, todos os segredos
dessa dimensão ou fora dela, num desespelho de
matizes, feito insofrência do desmundo.
Artigo Décimo-Quinto
A primeira flor da primeira aurora de cada dia novo,
será declarada de propriedade do Poeta da rua, do
bairro, do país ou de qualquer próximo Poeta a
confeitar como louco, como ermitão ou pioneiro, de
vanguarda. Em caso de naufrágio ou incêndio, poetas e
grávidas primeiro
Artigo Décimo-Sexto
Não existe Poeta moderno, clássico, quadrado,
matemático como pelotão de isolamento, ou só
aleijado por dentro, pois as flores e os rios não nascem
nunca iguais aos outros, sósias, nem os poemas são
tijolos formais de reboques arcaicos. Nenhum Poeta
poderá produzir só por estética, rima ou lucro fóssil.
Poesia não é para ser vendida, mas para ser dada de
graça. Um troco, um soneto, uma gorjeta, um haikai,
um fiado pago, uns versos brancos, um salário do
pecado, um mantra-banzo-blues-lundu. E todo
alumbramento é uma meia viagem pra Pasárgada.

Paragraphe unique
Poète ne manque pas. Il refait des parcours. Poète non esprit. Il
invente l'inexistant, traduit l'impossible, dénonce le devenir. Poète
ne meurt pas. Il étrenne dans le ciel. Poète souffre fibre par fibre
dans l'être de lui même
Article Quatorzième
Aux Poètes seront ouvertes toutes les portes, jusqu'aux invisibles
aux yeux louches et communs des mortels anonymes, seront
ouvertes tous les yeux, toutes les âmes, tous les chemins, toutes les
flammes, tous les cruches de larmes et les désirs, tous les secrets
de cette dimension ou excepté d'elle, dans une non reflexion de
nuances, de fait insondable de la nouvelle desfiguration Du monde.
Article Quinzième
Première fleur de première aube de chaque jour nouveau, sera
déclarée de propriété du Poète de la rue, du quartier, du pays ou de
tout proche Poète à confire comme fou, comme ermite ou pionnier,
d'avant-garde. Dans le cas de naufrage ou d'incendie, poètes et
femmes enceintes premier
Article Seizième
N'existe pas Poète moderne, classique, carré, mathématicien je
mange peloton d'isolement, ou seulement blessé en-dedans, donc
les fleurs et les fleuves né jamais égaux aux autres, à sosies, ni aux
poèmes sont des briques formelles de remorques archaïques.
Aucun Poète pourra produire seulement par esthétique, rime ou
gagne fossile. Poésie n'est pas pour être vendu, mais pour être
donnée de grâce. Un je change, un sonnet, un pourboire, une
haikai, une filure payé, des vers blancs, un salaire du péché, une
mantra-banzo-blues-lundu. Et toute alumbrament est un demi
Voyage piur Le règne de Pasárgada où Là Le poete c’est toujours
l’ami de le roi.
Poeta é tudo a mesma coisa, com maior ou menor grau
de sofrimento e lições de sabedoria dessas sofrências,
portanto, com carga maior ou menor de visão, lucidez,
sensoriedade canalizada entre o emocional e o
racional, de acordo com a sua bagagem, seu vivenciar,
seu prisma existencialista de bon vivant por atacado.
Poeta há entre os que pensam e os que pensam que
pensam. Entre os que são e os que pensam que são,
pois se parecem. A todos é dado a estrada de tijolos
amarelos para a empreita de uma caminhada que o
madurará paulatinamente. Ou não. Todo poeta é
aprendiz de si mesmo, em busca de uma pegada
íntima, e escreve para oxigenar a alma. Afinal, são
todos sementes, e sabem que precisam ser flores e
frutos, para recriarem, para sempre, a eterna
primavera cósmica.Todo aquele que se disser Poeta,
assim o será, ou assim haverá de ser
Parágrafo Um
O verdadeiro Poeta não acredita em Arte que não seja
Libertação. Saravá, Manuel Bandeira!
Parágrafo Dois

Poeta bebe porque é líquido. Se fosse sólido comia.
Parágrafo Três
Poeta é como a cana. Mesmo cortado, ralado,
amassado, ao ser posto na moenda dos dias, ainda
assim tem que dar açúcar-poesia
Inciso Um
Poeta também bebe para tornar as pessoas mais
interessantes.
Parágrafo quatro
Poeta não viaja. Poeta bebe. E todo Poeta sabe que o
fígado faz mal à bebida.
Artigo Décimo-Sétimo
Poeta terá que ser rueiro como pétala de cristal sacro,
frequentador de barzinhos como anjo notívago, freguês
de saunas mistas como recolhedor de essências,
plantador de trigais amarelos como iluminador de
cenários, cevador de canteiros entre casebres de
bosquíanos, entre o arado e a estrela, um arauto pós-
moderno como declamador de salmos contemporâneos
entre extraterrestres.
Parágrafo Único
Poeta rico deverá ainda mais amar o próximo como se
a si mesmo, ajudando os fracos e oprimidos, os Sem
Terra, Sem Teto, Sem Amor, para então se restar bem-
aventurado e poder escrever cânticos sobre a
condição humana no livro da vida. Poeta é antena da
época. E o neoholocausto do liberalismo globalizador é
o câncer que ergue e destrói coisas belas.

Poète est tout le même chose, avec plus grand ou moindre degré
de souffrance et de leçons de sagesse de ces soufriments, donc,
avec chargement plus grand ou moindre de vision, de lucidité,
sensorieté canalisée entre du émotionnel et rationnel,
conformément à ses bagages, sien vivre intensément, à son prisme
existencialiste de Bon vivant en gros. Poète a entre ils que pensent
et ce qui pensent ils que pensent. Entre ils que sont et ce qui
pensent ils que sont, donc ils se semblent. À tous est donnée route
de briques jaunes pour entreprend d'une randonnée que va maturer
progressivement. Ou non. Tout poète est apprenti de lui même, à la
recherche d'une empreinte de pas intimee, et écrit pour oxigenar
l'âme. Après tout elles, sont toutes semences, et savent ils qu'ont
besoin d'être des fleurs et des fruits, pour recréer, pour toujours,
l'éternel printemps cosmique. Quiconque se dire Poète, ainsi le
sera, ou ainsi il aura d'être Alinéa Un Le vrai Poète ne croit pas
dans Art qui n'est pas Libération. Saravá, Manuel Bandeira !
Alinéa Deux
Poète boit parce que c'est liquide. S'il était solide mangeait.
Alinéa Trois
Poète est comme la canne. Même coupé, râpé, malaxé, à l'être
grade dans la mouture des jours, encore ainsi il a qu'il donnera
sucre-poesie Incise Un Poète aussi boit pour rendre les personnes
le plus intéressant. Alinéa quatre Poète ne voyage pas. Poète boit.
Et tout Poète sait que le foie fait mal à la boisson.
Article Dix-septième
Poète aura qu'être homme de La rue je mange pétale de cristal
sacré, frequenteur de bars petits comme ange de La nuit, client de
saunas mélangés je mange recolheteur d'essences, planteur de
champs de blé jaunes mange illuminateur de scénarios, cevador de
marbriers entre des taudis de bosquíanos, entre la charrue et
l'étoile, un héraut pós-moderne je mange déclamateur de psaumes
contemporains entre des extraterrestres.
Alinéa Seul
Poète riche devra encore davantage aimer le proche comme si à lui
même, en aidant les faibles et opprimés, Sans Terre, Sans Plafond,
Sans Amour, pour que alors il se reste heureux et à pouvoir écrire
des cantiques sur la condition humaine dans le livre de la vie. Poète
est antenne du temps. Et la neoholocauste du libéralisme
globalizateur est le cancer qui érige et détruit des choses belles.
Artigo Décimo-Oitavo
A todo Poeta andarilho e peregrino como Cristo, São
Francisco ou Gandhi, será dado seu quinhão de afeto,
sua porção de Lar, seu travesseiro de pétalas de luz.
Quem negar candeia, azeite e abrigo ao Poeta, nunca
terá paz por séculos de gerações seguintes
abandonadas entre o abismo e a ponte para a Terra do
Nunca. Quem abrigar um Poeta, ganhará mais um anjo-
da-guarda no coração do clã que então será
abençoado até os fins dos tempos.
Parágrafo único
O sábio discute sabedoria com um outro sábio. Com
um humilde o sábio aprende.
Artigo Décimo-Nono
Poeta poderá andar vestido como quiser, com chapéus
de nuvens, pés de estrelas binárias ou mantras de
ninhos de borboletas. Nenhum Poeta será criticado por
fazer-se de louco pois os loucos herdarão a terra e são
enviados dos deuses. "Deus deve amar os
loucos/Criou-os tão poucos..." - Um Poeta poderá
também andar nu, pois assim viemos e assim nos
moldamos ao barro-olaria de nosso eio-Éden chamado
Planeta Água. E a estética para o poeta não significa
muito, somente o conteúdo é essência infinital.
Artigo Vigésimo
Poeta gosta de luxo também, mas deve lutar por uma
paz social, sabendo a real grandeza bela de ser
simples como vôo de pássaro, simples como pouso em
hangar fantástico, simples como beira de rio ou vão de
cerca de tabuínha verde. Só há pureza no simples.

Article Dix-huitième Le tout Poète andarile et pèlerin comme Christ,
San Francisco ou Gandhi, sera donné sa portion d'affection, sa
portion de Foyer, son oreiller de pétales de lumière. Qui nier
candelabre, huile et abri au Poète, jamais n'aura paix par des
siècles de générations suivantes non abandonnées entre l'abîme et
le pont pour la Terre de Jamais. Qui abriter un Poète, gagnera plus
une ange de guard dans le coeur du clan qui alors sera béni
jusqu'aux fins des temps. Alinéa seul Le savant discute de la
sagesse avec un autre savant. Avec un humble o sage il apprend.
Article Dix-neuvième
Poète pourra marcher tenue comment vouloir, avec des chapeaux
de nuages, de pieds d'étoiles binaires ou de mantras de nids de
papillons. Aucun Poète sera critiqué se faire de fou donc les fous
hériteront la terre et sont envoyés de . " ; Dieu doit aimer les fous/A
créé les aussi peu… " ; - Un Poète pourra aussi marcher nu, donc
nous sommes ainsi venus et ainsi dans nous les moulons à l’ argile-
poterie de nôtre eio-Éden appelé Planète de l’eau. Et l'esthétique
pour le poète ne signifie pas beaucoup de, seulement le contenu est
essence infinital.
Article Vingtième
Poète aime luxe aussi, mais il doit combattre pour une paix sociale,
en savoir la réelle grandeur belle d'être simple mange vol d'oiseau,
simple mange atterrissage dans hangar fantastique, simple je
mange côté de fleuve ou vont d'environ petit bois vert. Seulement il
y a pureté dans le simple.
Artigo Vigésimo-Primeiro
Nenhum Poeta, em tempo algum, por qualquer motivo
deverá ser convocado para qualquer batalha, luta ou
guerra. Mas poderá fazer revoluções sem violência.
Poderá também ser solicitado para ser arauto da paz,
enfermeiro de varizes da alma ou envernizador de
cicatrizes no coração, oferecendo, confidente e
solidário, um ombro amigo, um abraço de ternura, um
adeus escondido feito recolhedor de aprendizados ou
visitador de bençãos, ou até ser circunstancialmente
um rascunhador clandestino de alguma ridícula carta
de suicida por paixão se impôs
Artigo Vigésimo-Segundo
Mentira para o Poeta significa cruz certa. Aliás, poeta
na verdade nunca mente, só inventa verdades
tecnicamente inteiras e filosoficamente sistêmicas...
Artigo Vigésimo-Terceiro
Musa-Vítima do Poeta será enfermeira, psicóloga,
amante, mulher-bandeira, berço esplêndido, Santa.
Terá que ser acima de todas as convenções formais,
pau para toda obra. No amor e na dor, na alegria e na
tristeza, até num possível pacto de morte.
Artigo Vigésimo-Quarto
Poeta não paga pensão alimentícia. Ou se está com
ele ou contra ele. Filhotes sobrevivente de uma
relação qualquer, ficarão sob sua guarda direta e
imediata. Ex-Mulheres serão para sempre águas
passadas que não movem moinhos, como velas ao
vento de uma Nau Catarineta qualquer, como
exercícios de abstrações entre cismas, ou como
aprendizados de dezelos íntimos de quem procura
calma para se coçar.
Artigo Vigésimo-Quinto

Revogam-se todas as disposições em contrário,
CUMPRA-SE - DIVULGUE-SE!

Article vingt et unième
Aucun Poète, dans temps quelques-uns, pour une quelconque
raison devra être convoqué pour toute bataille, combat ou guerre.
Mais il pourra faire des révolutions sans violence. Il pourra aussi
être demandé pour être héraut de la paix, infirmier de varices de
l'âme ou envernizateur de cicatrices dans le coeur, en offrant, le
confident et solidaire, une épaule ami, une accolade de tendresse,
un au revoir caché fait recolheteur d'apprentissages ou un visiteur
de bénédictions, ou jusqu'à être circonstanciellement une copiste
clandestine de quelque ridicule lettre suicidaire par passion s'est
imposée
Article vingt deuxsième
Mensonge pour le Poète signifie croix exacte. D'ailleurs, poète en
vérité jamais esprit, seulement invente des vérités techniquement
entières et philosophiquement sistêmiques…
Article vingt troisième
Muse - victime du Poète sera infirmière, psychologue, en aimant,
femme-drapeau, berceau splendide, Saint. Il aura qu'être au-dessus
de toutes les conventions formelles, le bois pour toute oeuvre. Dans
l'amour et dans la douleur, dans la joie et dans la tristesse, même
dans un possible pacte de décès.

Article Vingt quatrième
Poète non payée pension alimentaire. Ou s'il est avec lui ou contre
lui. Des fistons survivant d'une relation quiconque, resteront sous
leur garde directe et immédiate. Ex-femmes seront pour toujours
des eaux dernières qui ne déplacent pas de moulins, mange des
bougies au vent d'un Navire Catarineta quiconque, je mange des
exercices d'abstractions entre des schismes, ou mange des
apprentissages de dezelos intimes lesquelles cherche calme
s’érafler.
Article vingt cinquième
Se révoquent toutes les dispositions dans contraire,
S'ACCOMPLISSENT - IL que nous faisons La divulgation !
-0-
.www.porta-lapsos.zip.net
E-mail: poesilas@terra.com.br
Itararé-São Paulo, Brasil

4/11/2011_FESTIVAL LITERÁRIO DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS-PARANÁ

Primeiramente é preciso agradecer a DEUS, pela grande oportunidade que o AMOR
nos proporciona quando realizamos um trabalho como este! Livros para as crianças!
MUITO OBRIGADA!


Olá!
Em 2008, estivemos em São José, para uma atividade literária do lançamento do livro da BAILARINA, com o Colégio Milenium.
Hoje, 04/11/2011, é a nossa primeira apresentação com o PROJETO DE LEITURA CRIANÇA FELIZ na cidade de SÃO JOSÉ DOS PINHAIS, PARANÁ, em um FESTIVAL LITERÁRIO para toda a comunidade.






O FESTIVAL LITERÁRIO em SÃO JOSÉ DOS PINHAIS, iniciou ontem!
Mas reservou muita atividade gostosa para o proveito do público tão especial até o dia 13/11.




As atrações são um presente para o público!




Sábado, 5/11, quem estará autografando será o MARTINHO DA VILA. Por motivo de trabalho eu não poderei comparecer, mas fica o meu carinho e a minha gratidão, pois em 1999, quando ele esteve em Curitiba, gentilmente concedeu uma entrevista para o que seria minha dissertação de mestrado em Disturbios da Comunicação. Na ocasião, o tema do trabalho seria: "Os Cantores da Noite e os Cuidados com a Voz". MARTINHO... a dissertação precisou de modificações.... por motivo da minha gravidez, a tese se transformou em: "HÁBITOS VOCAIS DOS LOCUTORES RADIALISTAS DA CIDADE DE CURITIBA-PARANÁ". Assim,  tudo deu certo. Eternamente grata por sua atenção e gentileza, SEJA MUITO BEM VINDO!







VALE CONFERIR!Registramos algumas fotos da nossa tarde MARAVILHOSA!





PARABÉNS PARA A ESTRELA SUELI BRANDÃOQUE BRILHANTEMENTE ORGANIZA AS ATIVIDADES LITERÁRIAS NAS PRAÇAS,
NAS CIDADES, NO NÚCLEO COMUNITÁRIO E ESTUDANTIL.
ESTRELA, SIM! POIS IMAGINEM VOCÊS QUE É COM TODO ESSE CARISMA QUE ELA NOS APRESENTA AO PÚBLICO!
O NOSSO CONTATO JÁ É ANTIGO, DESDE E 1ª FEIRA DE RUA; A FEIRA DO LIVRO EM CURITIBA-PARANÁ. DE LÁ PRA CÁ, MUITOS OUTROS EVENTOS, MAS É NOTÁVEL A PRESENÇA MARCANTE, A ORGANIZAÇÃO DO PALCO E O AGENDAMENTO DAS APRESENTAÇÕES. SÃO ALGUNS DIAS DE ESFORÇO! MUITO OBRIGADA PELA IMENSA ALEGRIA! SUELI, VOCÊ É TAMBÉM A IMPORTÂNCIA, O DESTAQUE DA MULHER EM NOSSA ATUAÇÃO LITERÁRIA!
PARABÉNS!





Agora um pouquinho do nosso encontro:)

A palestra foi destinada ao ouvir e participar de 3 Instituições do Município. Agradecemos muitíssimo a presença das PROFESSORAS, dos alunos, das auxiliares, das bibliotecárias e de toda a equipe organizadora do evento.
Conversamos sobre o início do trabalho com a literatura, quando cada página de um livro foi pintada em tela, e só em 2005 se transformou na realidade do livro com a história impressa no papel. Falamos de um sonho que começou com tinta guache e amor. Que hoje se completa com a alegria de uma criança poder colorir também!

A demonstração desse trabalho é alegria para os apoiadores, amigos do PROJETO DE LEITURA, colegas que com ou sem logomarca nas capas dos livrinhos, incentivaram (incentivam) e certamente ficam emocionadíssimos... de VERDADE... pelo HOJE, que se firma como na rocha, o bem EM NOSSAS HISTÓRIAS!
E... falando em bem... olha ele aí:) QUIM KARATÊ é o nosso livrinho feito em contornos para colorir. Ele é feito com desenho manual. Com canetão!




Psicopedagogicamente, ele une a poesia, a criatividade, a possibilidade de colorir, aquele estilo: "moral da história" e ainda faz menção ao esporte pela saúde e paz! TEM SIM, NO DESENHO, O MOVIMENTO DO KARATÊ!




(uôôôs = saudações!)

Aqui, a hora do GIM! O Gatinho querido da história da Nina, o charmoso do corinho
entoado pelas crianças! Será que ele estava no telhado mesmo?


MUITO OBRIGADA, CRIANÇAS!

Saber que dos poucos minutinhos vocês já conseguiram aprender mais uma historinha
é mesmo muito gratificante. ! MUITO OBRIGADA!


Agradeço toda a atenção, o carinho, a luz em brilho vinda dos olhares sinceros de Vocês, minhas estrelinhas também! ELE GANHOU!!!






No momento certo, um aniversariante recebe a homenagem dos seus colegas!
O amiguinho faz 6 anos... é o mesmo tempo que o livrinho da O MUNDO DE NINA completou em setembro!
QUERIDO, MUITAS FELICIDADES! PARABÉNS! MUITOS ANOS DE VIDA!
O presente? Bem legal! O menino recebeu o livro: "O REI SAPÃO SAPOLÃO E SEU CORAÇÃO" com o CD da narrativa literária e um chaveirinho de sapo. PARABÉNS!



Peço desculpas por minhas limitações humanas. Não sei escrever em braile, não pude me aprofundar no assunto, mas coincidentemente no livro do GIM tem um CD para que a literatura possa ser ouvida.
Para os nossos leitores mirins, uma breve anotação: O QUE É BRAILE?



____________



Braille ou braile[1] é um sistema de leitura com o tato para cegos inventado pelo francês Louis Braille no ano de 1827 em Paris.
O sistema de Braille aproveita-se da sensibilidade epicrítica do ser humano, a capacidade de distinguir na polpa digital pequenas diferenças de posicionamento entre dois pontos diferentes. Um cego experiente pode ler duzentas palavras por minuto
Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Braille



______________



PEQUENINA, receba a lembrança com carinho. A professora contou que você escreve muito bem! Com ideias ótimas... e esse é o caminho! Quando você cheirou o livro do GIM, tocou-me que a sensibilidade cresce muito forte assim! SIGA EM FRENTE! SUCESSO! Quem sabe você adquire o gosto pela literatura infantil, escrevendo histórias em BRAILE! Desde já, ofereço o meu texto de poesia ilustrada "O MUNDO DE NINA", e as demais obras também! Com carinho, para as crianças especiais como os nossos livros! Que DEUS te abençoe! Algum leitor experiente poderia usar essa novidade para NOSSA publicação da literatura infantil em BRAILE? 










SAUDAÇÕES LITERÁRIAS!





Tivemos o momento do exercício da inspiração:) AUTÓGRAFOS! Com alegria, prestigiamos as BIBLIOTECAS MUNICIPAIS DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS.
 stand da Leitura



Para o FESTIVAL LITERÁRIO, disponibilizamos os seguintes títulos:





1) MEU TRENZINHO. Livro colorido. tem desenho para colorir e um chaveiro de urso.É um livro usado para treinar a emissão sonora e a respiração, já adquirido por Fonoaudiólogas no trabalho de respiração pneumofônica. Trata-se de ler brincando, imitando na forma de rimas o som! o barulhinho do trem.



2) QUIM KARATÊ. Livro para colorir. Tem poesia com mensagem positiva, incentivando o esporte, a disciplina, a saúde e a paz!



3) TIGER, a Tartaruguinha de estimação para colorir. Seus versos ensinam que "o importante é não parar! Quem não perde a esperança, alcança um bom lugar!"




4)GIM, o Gatinho. Livrinho para colorir. A HISTÓRIA É NA BARRIGA DO GATO! A numeração da página é em "pontilhado" , para exercitar a grafia, no rabinho do gato.



5) O MUNDO DE NINA. É o livro de poesia ilustrada para colorir. A obra que nasceu das telas de guache.



MUITO OBRIGADA!




PARTICIPE!
DE 03 A 13 DE NOVEMBRO

LOCAL: PRAÇA 8 DE JANEIRO, CENTRO, SÃO JOSÉ DOS PINHAIS

FESTIVAL LITERÁRIO DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS E REGIÃO METROPOLITANA


Revista Partes

http://www.partes.com.br/2017/11/01/poema-fora-de-moda/ Poema Fora de Moda Gilda E. Kluppel No vestuário comercial calças de boca de sino...