quarta-feira, 30 de setembro de 2009

A LOJA DE DEUS


PARA VISUALIZAR MELHOR AS IMAGENS, CLIQUE NAS FOTOS.

TENHA UM EXCELENTE APROVEITAMENTO DO SEU DIA!

AO NOSSO QUERIDO EDITOR GILBERTO: HOMENAGEM DE ANIVERSÁRIO






















COMO HOMENAGEM AO NOSSO EDITOR
GILBERTO DA SILVA, PELO SEU ANIVERSÁRIO,
PELA DATA QUERIDA: 12/09,
PEDIMOS AO SENHOR NOSSO DEUS QUE ILUMINE
E GUARDE TODOS OS SEUS DIAS.
A SOLIDARIEDADE COM ESTA ESCRITORA FOI
ATO DE ALMA NOBRE, JAMAIS ESQUECIDA.
SOU GRATA, SOU FELIZ PELA CHEGADA DESSE MOMENTO
DE PAZ E REALIZAÇÕES!
RECEBA A GRATIDÃO, RECEBA O CARINHO SINCERO.
FELIZ ANIVERSÁRIO COM DEUS NO CORAÇÃO!






quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Zelaya

Zelaya teria sido deposto por promover mais poder para os cidadãos

Filha do presidente deposto de Honduras afirma, em artigo publicado na última edição da revista inglesa New Statesman, que atitudes do governo do pai também contrariaram interesses das multinacionais de petróleo e impediram o avanço de privatizações.  

 

Em artigo publicado na revista New Statesman  de 21 de setembro de 2009, com o titulo (em português) "Meu pai está sendo punido por ajudar Honduras" , Xiomara Zelaya, filha do presidente eleito de Honduras, Manuel Zelaya, deposto por golpe militar em 28 de junho – hoje alojado na embaixada brasileira em Tegucigalpa – afirma que  o povo hondurenho tem se engajado em uma luta pacífica para garantir os seus direitos, "pelo retorno de seu pai como presidente e pelo estabelecimento de uma assembléia nacional constituinte". 

 

Segundo Xiomara Zelaya, "muito tem sido dito sobre uma possível intervenção militar pelo presidente da Venezuela, Hugo Chaves; sobre um suposto desejo do Presidente Zelaya de se perpetuar no poder: e sobre crimes imputados a Zelaya, mas estas questões estão sendo usadas simplesmente para mascarar as reais razões do golpe". Ela argumenta no artigo que, desde o início do mandato, as atitudes e idéias de Zelaya teriam sido alvo de críticas dos principais meios de comunicação que, segundo ela, o acusaram de "louco" e "ignorante". O motivo seria a promoção por seu pai da idéia do "poder do cidadão" que tinha como objetivo o envolvimento dos cidadãos nas tomadas de decisões. Ela credita grande parte da perseguição à publicação em 27 de janeiro de 2006 da Ley de Participación Ciudadana (http://www.glin.gov/view.action?glinID=176490). "A lei dá ao povo o direito de utilizar escrutínios, plebiscitos e referendos para participar dos processos de decisão", explica.

 

Para  Xiomara, os cortes promovidos por seu pai, após assumir o poder, nos preços do combustível "causaram confrontos diretos com as maiores multinacionais de petróleo". Além disso, segundo a filha do presidente, "ele denunciou roubo na estatal de eletricidade e nas empresas de telecomunicações, que foram forçadas a pedir falência. Ele trabalhou para sua recuperação e para evitar a privatização das firmas estatais remanescentes em um país no qual 80% dos nossos recursos haviam sido privatizados". Todas estas questões, explicariam, segundo Xiomara, por que o governo do presidente deposto, Manuel Zelaya,  foi acusado de ineficaz. "Mais tarde eles o chamaram de populista e agora falam que é comunista e um fugitivo da polícia", escreve, referindo-se à mídia hondurenha.

 

Para ler o artigo na íntegra em inglês acesse http://web.ebscohost.com/ehost/pdf?vid=5&hid=104&sid=00954857-ee8a-47a3-b019-b5b306d73ea5%40sessionmgr10

 

 

Agência Notisa (science journalism – jornalismo científico

Mídia, Poder e Ética é tema do Café Intercom/Saraiva de 24/09

O Café Intercom do dia 24 de setembro conta com a mediação do Prof. Dr.
Carlos Costa, Coordenador de Jornalismo da Faculdade Cásper Líbero, e debate
o tema Mídia, Poder e Ética. O evento tem como convidado o jornalista e
professor Caio Túlio Costa que, a partir das intuições teóricas de Otávio
Ianni, no texto "O príncipe eletrônico", discorre sobre o assunto e conversa
com os participantes sobre os principais conteúdos de seu mais recente
livro, Ética, jornalismo e nova mídia: uma moral provisória.

O Café Intercom é na Livraria Saraiva do Shopping Pátio Paulista, a partir
das 19h30, na Rua 13 de Maio, 1947, Bela Vista, São Paulo, SP.

Artigo: Preparação do pedagogo em um período de mudanças

 

PREPARAÇÃO DO PEDAGOGO EM UM PERÍODO DE MUDANÇAS

 

 

Maria Alice de Castro Rocha *

 

 

Acredito ser a preparação do educador uma das responsabilidades mais nobres existentes em uma sociedade. Como seres humanos, estamos destinados ao aprendizado e à construção de conhecimentos advindos.

O Pedagogo é preparado para pensar a educação, em seus vários âmbitos. E esta é hoje muito complexa, pois vivemos no mundo dominado pela tecnologia que inaugurou uma nova forma de relação entre as pessoas e as informações, o conhecimento.

O centro primeiro da Pedagogia é, entretanto a docência, sobretudo da educação infantil e do ensino fundamental (séries iniciais). Muitos, diante disto, dirão que esta é a parte mais simples de uma formação acadêmica, pois se trata de se ocupar do início de aprendizados simples, sem grandes sofisticações.

Pode-se mesmo acreditar que qualquer um cuida de criança e qualquer um ensina as primeiras letras e os primeiros cálculos. Isto só se poderia considerar por desconhecimento do que significa educação e o cuidar .

Para ensinar um saber devemos dominá-lo. Então quem sabe escrever, sabe ensinar.... Ledo engano. O ensinar trabalha não só com dado saber como com formas de permitir que o outro construa seu conhecimento. O domínio de um saber não basta para que o outro construa seu conhecimento. Como diria Guy Brousseau, o professor precisa criar situações didáticas que favoreçam o conhecer, o aprender.

Isto é, o professor é responsável por fornecer subsídios para que cada ser construa seu conhecimento. Deve lidar hoje com gestão de conhecimentos e de pessoas, que ultrapassa o fornecimento de dados prontos. Lida não só com as construções atuais como com projeções futuras e com um ser dotado de vivências próprias paralelas e anteriores; com sonhos e simbolismos..

É um profissional que deve dominar questões teóricas complexas para entender o sentido da educação e ao mesmo tempo entender as metodologias e práticas de ensino que lhe permitam construir um saber prático profissional. Deve receber subsídios para uma formação que lhe permita perguntar: para que? Por que? O que ensinar? E como fazê-lo. Nada na educação é neutra, sem conseqüências.

Lida com o alicerce das pessoas, mediando formas de se portar diante do conhecer, do aprender, do respeito pelo saber e pelo outro e por si próprio.É o principal responsável pela introdução do ser no conhecimento formal e sistematizado dominado pela sociedade, mas envolto em muitos outros aspectos que formam um ser de possibilidades infindáveis.

Torna-se fundamental pesquisar-se formas de se preparar este educador para o domínio de uma profissão que pede novas maneiras de se lidar com estratégias diversas num mundo complexo que permitam o aprender, sem esquecer o significado que estas possam ter em um contexto mais amplo que envolva o ser, a sociedade e o ecossistema.

 

* Maria Alice de Castro Rocha, é pedagoga, mestre em educação pela PUC-SP; psicopedagogo; doutora em Psicologia do Escolar pela USP e é coordenadora do Curso de Pedagogia das Faculdades Integradas Rio Branco.

 

 

 

terça-feira, 22 de setembro de 2009

poesia

 
 

BRISA DA MANHÃ

 

Dhiogo Jose Caetano

Graduando da UEG-Universidade Estadual de Goiás

 

 

 

Não tão perfeita como a neve por que a perfeição é uma dádiva de Deus.

A brisa é leve e passa por mim sem que eu veja e sinta.

A manhã é linda pura com aquele lindo sol arregalado, pássaros cantando, brisa que vem e vai sem fim.

A brisa dos meus sonhos é abstrata e relativa que leva minha alma para um paraíso cheio de paz e amor, onde nunca deixarei de ser feliz por que o seu nome é felicidade eterna e imortal sem fim moral e sentimental a qual encanto com o tanto belo.

 


dhiogocaetano@hotmail.com

Sobre poema

ISSO É JUSTO?
 
Sobre minha poesia "SEXO", minha intenção não é ser moralista em demasia... e, sim, fazer um alerta sobre o excesso de informações, inclusive algumas bem danosas, que
chamam a atenção de um público jovem, ainda despreparado para esse assunto;
quando deviam ser mais despertados para o estudo, esporte, arte... e outras atividades compatíveis com a idade deles.
 
Como combater a gravidez na adolescência, graves problemas de saúde, o assédio sexual de psicopatas junto a mulheres e crianças, com tanto incentivo?
 
A nudez num filme de arte, numa bela peça de teatro, numa pintura... é perfeitamente compreensível; mas uma exposição inútil, visando apenas fins lucrativos é que é o problema...
 
Existem moças honestas que saem de casa às quatro horas da manhã para trabalhar duro e ganhar o salário mínimo; mesmo morrendo de medo de serem, de repente, atacadas... 
 
Isso é justo?
 
                              NAIR LÚCIA DE BRITTO
Ler poema:

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Feios, sujos e malvados - Debate Cedem/Unesp: 30/09/09

 


 
Feios, sujos e malvados sob medida: a história social da medicina

Debate Cedem/Unesp 30/09/09

 

            Feios, sujos e malvados sob medida. A utopia médica do biodeterminismo (1920-1945), editora Alameda – 2009, livro de Luis Ferla, será o centro do debate no próximo dia 30 de setembro, quarta-feira às 18h30, promovido pelo CEDEM – Centro de Documentação e Memória da UNESP.

            O determinismo biológico presente na medicina e na criminologia da primeira metade do século XX não é um acontecimento isolado no tempo. Em Feios, sujos e malvados sob medida a densidade histórica do biodeterminismo é investigada com rigor, analisando os discursos médicos e as estratégias oficiais voltados aos indivíduos considerados “feios, sujos e malvados”. Dessa maneira, o historiador Luis Ferla realiza uma refinada análise sobre a patologização dos comportamentos anti-sociais, ou “desviados”, e sobre as articulações entre ciência e “defesa social”.

            A rebeldia, o silêncio, as resistências jurídicas e a resignação podem ser armas poderosas contra a transformação do corpo humano em puro objeto de desvendamento científico, como afirmavam as teorias racistas da virada do século XX. Assim, o competente historiador compreende que a história do biodeterminismo é mais complexa e menos evidente do que um jogo de contrários.

            Feios, sujos e malvados sob medida interroga com maestria o mosaico de ações e teorias, de utopias sociais e de ambiguidades característico das diversas intervenções científicas sobre o corpo humano entre 1920 e 1945. Uma história complexa, pois seu desenho caminha do trabalho ao crime e vice-versa, envolvendo os esforços por identificar e tratar desde o homossexual até o doente mental, passando por epiléticos e portadores do que já se nomeou como sendo “loucura moral”. Um trabalho sobre as medidas criadas institucionalmente para regrar o corpo e a alma cuja leitura é essencial para pesquisadores de diversas áreas do conhecimento.          

            O livro representa uma importante contribuição à história social e cultural da São Paulo do entre-guerras, mas também à história da ciência e da medicina. Luis Ferla responde com maestria ao desafio colocado, e o resultado é uma obra instigante e consistente.

           

Expositor

 Luis Ferla

Graduação e Doutorado em História – USP

Professor de História Contemporânea – UNIFESP/Campus Guarulhos

 

Debatedor

 Janes Jorge

Graduação, Mestrado e Doutorado em História – USP; Professor de História – PUC/SP

 

Mediadora

Jacy Machado Barletta

Mestre em História e Historiografia da Educação - USP

Foi Professora da rede pública de ensino e é Historiógrafa do CEDEM/UNESP

 

PARTICIPE E CONVIDE OS SEUS AMIGOS!

 

Inscrições gratuitas c/ Sandra Santos pelo e-mail: ssantos@cedem.unesp.br

 

Quando:  30/09/09 às 18h30

Local: CEDEM/UNESP – Praça da Sé, 108 – 1º andar, esquina com a Rua Benjamin Constant (metrô Sé)

 (11) 3105 - 9903 - www.cedem.unesp.br

 

21 de setembro_ DIA DA ÁRVORE


sexta-feira, 18 de setembro de 2009

4ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul

 

O documentário "Unidad 25", dirigido por Alejo Hojiman, abrirá a 4ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul dia 5 de outubro no CineSesc em São Paulo. A produção argentina fala sobre uma impressionante prisão/igreja onde duas centenas de prisioneiros e 30 guardas compartilham sua devoção ao Evangelho. Além desta, outras produções serão exibidas até o dia 11 de outubro no CineSesc, como "Devoção", de Sergio Sanz, "Sentidos à Flor Da Pele" e "À Margem Do Lixo", de Evaldo Mocarzel, o colombiano "Bagatela – A Necessidade Tem Cara De Cachorro", de Jorge Caballero, "Garapa", de José Padilha e também diretor do sucesso "Tropa de Elite", "Entre A Luz e a Sombra", longa inédito no circuito comercial dirigido por Luciana Burlamaqui, entre outros.


Já na Cinemateca, a 4ª edição da mostra começa dia 06 de outubro, terça-feira, com o documentário investigativo "Esse Homem Vai Morrer – Um Faroeste Caboclo", de Emilio Gallo, que revela como um sonho que atraiu um punhado de brasileiros até Rio Maria (Pará) se tornou uma sentença de morte para quatorze deles. No mesmo dia, também haverá a exibição da produção argentina "Contra-Corrente", de Agostina Guala e o paraguaio "Partida", de Marcelo Martinessi. Estão previstas também duas sessões de audiodescrição para o público com deficiência visual. Na quarta-feira, dia 07, será exibido o filme "O Signo da Cidade", de Carlos Alberto Riccelli e na quinta-feira, dia 08, "Não Conte a Ninguém", de Francisco J. Lombardi.


Programa Especial


Entre os destaques da Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul está o longa-metragem "Histórias de Direitos Humanos", que integra o Programa Especial com 22 episódios de três minutos cada, assinados pelo argentino Pablo Trapero (do longa "Bonaerense"), o chinês Jia Zhang Ke (de "Still Life"), o tailandês Apichatpong Weerasethakul ("Tropical Malady") e o realizador de Burkina Faso Idrissa Ouédraogo ("África, Minha África"), além da dupla brasileira Walter Salles e Daniela Thomas.

"O Cavaleiro Negro" de Ulf Hultberg e Åsa Faringer, e a minissérie televisiva "Trago Comigo", na qual a diretora Tata Amaral mistura ficção e realidade para abordar a ditadura militar no Brasil, também fazem parte do Programa Especial.

Retrospectiva Histórica

Inspirada pelo mote "Iguais na Diferença" (tema de recente campanha pela inclusão das pessoas com deficiência criada para a Secretaria de Comunicação Social e Secretaria Especial dos Direitos Humanos, ambas da Presidência da República), a Retrospectiva Histórica de 2009 reúne produções realizadas de 1949 a 1998, destacando nomes expressivos da cinematografia da região. É o caso do chileno Raúl Ruiz, que realizou "O Realismo Socialista" em 1973, e do peruano Francisco J. Lombardi, autor do sucesso "Não Conte a Ninguém" (1998). Dois longas-metragens brasileiros, que tratam de temas fortes e que há muito tempo estão fora de circulação, são recuperados pela programação: "Crueldade Mortal" (Luiz Paulino dos Santos, 1976), através de uma brilhante atuação de Joffre Soares, aborda questões ligadas ao idoso, tortura e segurança pública, enquanto que "Também Somos Irmãos" (José Carlos Burle, 1949), com elenco liderado por Grande Otelo, é considerado por estudiosos como o filme mais importante sobre a questão racial feito no Brasil.

Homenagem

Considerado projeto precursor na área de produção audiovisual dos índios no Brasil, o Vídeo nas Aldeias é foco da Homenagem desta edição. Criado em 1987, a partir de um experimento realizado por Vincent Carelli entre os índios Nambiquara, quando estes eram filmados e depois assistiam a suas próprias imagens, o projeto tornou-se um centro de produção de vídeos e uma escola de formação audiovisual para povos indígenas. Estão programados sete títulos do Vídeo nas aldeias, entre eles o longa-metragem "Corumbiara", vencedor este ano dos prêmios de melhor filme no Festival de Gramado e no Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Goiás), além de menção honrosa no É Tudo Verdade.


***


O evento, que acontece entre os dias 05 e 11 de outubro em São Paulo, é dedicado a obras que abordam questões referentes aos direitos humanos, produzidas recentemente nos países sul-americanos. No total, estão representados dez países da América do Sul: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Perú, Uruguai e Venezuela.


Além de São Paulo, outras 15 cidades recebem Mostra: Rio de Janeiro (Teatro Nelson Rodrigues, 6 a 11/10), Natal (Auditório Sebrae, 7 a 11/10), Porto Alegre (Santander Cultural, 8 a 16/10), Belo Horizonte (Cine Humberto Mauro, 13 a 19/10), Teresina (Sala Torquato Neto, 13 a 19/10), Manaus (Palácio da Justiça, 19 a 25/10), Fortaleza (Cine Benjamin Abrahão, 19 a 25/10), Rio Branco (Filmoteca Acreana, 19 a 25/10), Belém (Cine Líbero Luxardo, 22/10 a 1º/11), Maceió (Cine Sesi Pajuçara, 26/10 a 1º/11), Brasília (Centro Cultural Banco do Brasil, 26/10 a 1º/11), Recife (Cinema da Fundação Joaquim Nabuco, 30/10 a 5/11), Curitiba (Cinemateca de Curitiba, 3 a 8/11), Goiânia (Cine Cultura – Sala Eduardo Benfica, 3 a 8/11) e Salvador (Sala Walter da Silveira, 4 a 10/11). Em todas as capitais acontecem sessões com audiodescrição e closed caption.


A 4ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul é uma realização da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, com produção da Cinemateca Brasileira, patrocínio da Petrobras e conta com apoio do Ministério das Relações Exteriores, da TV Brasil e da Sociedade Amigos da Cinemateca. As obras mais votadas pelo público são contempladas com o Prêmio Aquisição TV Brasil nas categorias longa, média e curta-metragem. A programação tem curadoria do cineasta e curador Francisco Cesar Filho.



 


PROGRAMAÇÃO CINESESC: DE 05 A 11 DE OUTUBRO


CINESESC
326 lugares
Rua Augusta, 2075 – Cerqueira César
(11) 3087-0516
ENTRADA FRANCA


05/10 – SEGUNDA-FEIRA
21h – Sessão de abertura
UNIDADE 25 -
Alejo Hojiman (Argentina / Espanha, 90 min, 2008, doc)
COCAIS, A CIDADE REINVENTADA - Inês Cardoso (Brasil, 15 min, 2008, doc)

Classificação indicativa: 16 anos


06/10 – TERÇA-FEIRA
19h
DEVOÇÃO -
Sergio Sanz (Brasil, 85 min, 2008, doc)
PHEDRA - Claudia Priscilla (Brasil, 13 min, 2008, doc)

Classificação indicativa: 12 anos


21h
O SIGNO DA CIDADE -
Carlos Alberto Riccelli (Brasil, 96 min, 2007, fic)
OS SAPATOS DE ARISTEU - René Guerra (Brasil, 17 min, 2008, fic)

Classificação indicativa: 16 anos


07/10 – QUARTA-FEIRA
19h
SENTIDOS À FLOR DA PELE -
Evaldo Mocarzel (Brasil, 80 min, 2008, doc)
PUGILE - Danilo Solferini (Brasil, 21 min, 2007, fic)

Classificação indicativa: livre


21h
TAMBORES DE ÁGUA: UM ENCONTRO ANCESTRAL -
Clarissa Duque (Venezuela / Camarões, 75 min, 2008, doc)
ALÉM DE CAFÉ, PETRÓLEO E DIAMANTES - Marcelo Trotta (Brasil, 15 min, 2007, doc)
TARABATARA - Julia Zakia (Brasil, 23 min, 2007, doc)

Classificação indicativa: livre

08/10 - QUINTA-FEIRA
19h

NUNCA MAIS!!! COCHABAMBA, 11 DE JANEIRO DE 2007 - Roberto Alem (Bolívia, 52 min, 2007, doc)
DAYUMA NUNCA MAIS - Roberto Aguirre Andrade (Equador, 30 min, 2008, doc)

Classificação indicativa: livre


21h
BAGATELA – A NECESSIDADE TEM CARA DE CACHORRO -
Jorge Caballero (Colômbia / Espanha, 74 min, 2008, doc)
MENINO ARANHA - Mariana Lacerda (Brasil, 13 min, 2008, doc)
MENINOS - Gonzalo Rodríguez Fábregas (Uruguai, 14 min, 2008, doc)

Classificação indicativa: 12 anos

09/10 – SEXTA-FEIRA
19h
À MARGEM DO LIXO -
Evaldo Mocarzel (Brasil, 84 min, 2008, doc)

Classificação indicativa: livre

21h
GARAPA -
José Padilha (Brasil, 110 min, 2008, doc)

Classificação indicativa: 12 anos




10/10 – SÁBADO
19h
O CAVALEIRO NEGRO
- Ulf Hultberg, Åsa Faringer (Suécia / México / Dinamarca, 95min, 2007, fic)

Classificação indicativa: 14 anos


21h
ENTRE A LUZ E A SOMBRA -
Luciana Burlamaqui (Brasil, 150 min, 2007, doc)

Classificação indicativa: 16 anos


11/10 – DOMINGO
19h

HISTÓRIAS DE DIREITOS HUMANOS – vários diretores (diversos países, 84 min, 2008, doc/fic)

Classificação indicativa: 16 anos


21h
UNIDADE 25 -
Alejo Hojiman (Argentina / Espanha, 90 min, 2008, doc)
COCAIS, A CIDADE REINVENTADA - Inês Cardoso (Brasil, 15 min, 2008, doc)

Classificação indicativa: 16 anos


Mais informações podem ser acessadas através do website

www.cinedireitoshumanos.org.br

*O formato de exibição dos filmes é BETA



PROGRAMAÇÃO CINEMATECA: DE 06 A 11 DE OUTUBRO


CINEMATECA BRASILEIRA
Sala Cinemateca Petrobras
110 lugares
(11) 3512-6111
Lgo. Senador Raul Cardoso, 207 - Vila Clementino
ENTRADA FRANCA


06/10 – TERÇA-FEIRA

21h
ESSE HOMEM VAI MORRER - UM FAROESTE CABOCLO -
Emilio Gallo (Brasil, 75 min, 2008, doc)
CONTRA-CORRENTE - Agostina Guala (Argentina, 9 min, 2008, fic)
PARTIDA - Marcelo Martinessi (Paraguai, 14 min, 2008, fic)

Classificação indicativa: 16 anos



07/10 – QUARTA-FEIRA

16h30 – Audiodescrição
O SIGNO DA CIDADE -
Carlos Alberto Riccelli (Brasil, 96 min, 2007, fic)

* Sessão com audiodescrição para público com deficiência visual

Classificação indicativa: 16 anos


19h
PRO DIA NASCER FELIZ -
João Jardim (Brasil, 88 min, 2006, doc)

Classificação indicativa: livre



21h
TAMBÉM SOMOS IRMÃOS -
José Carlos Burle (Brasil, 85 min, 1949, fic)

Classificação indicativa: livre


08/10 - QUINTA-FEIRA
19h
YÃKWÁ, O BANQUETE DOS ESPÍRITOS -
Virgínia Valadão (Brasil, 54 min, 1995, doc)

A ARCA DOS ZO'É - Dominique Tilkin Gallois, Vincent Carelli (Brasil, 22 min, 1993, doc)
O ESPÍRITO DA TV -
Vincent Carelli (Brasil, 18 min, 1990, doc)
Classificação indicativa: livre

21h - Audiodescrição
NÃO CONTE A NINGUÉM -
Francisco J. Lombardi (Peru / Espanha, 120 min, 1998, fic)

* Sessão com audiodescrição para público com deficiência visual

Classificação indicativa: 18 anos


09/10 – SEXTA-FEIRA

19h
MOKOI TEKOÁ PETEI JEGUATÁ – DUAS ALDEIAS, UMA CAMINHADA -
Arial Duarte Ortega, Germano Beñites, Jorge Morinico (Brasil, 63 min, 2008, doc)

DE VOLTA À TERRA BOA - Mari Corrêa, Vincent Carelli (Brasil, 21 min, 2008, doc)
PRÎARA JÕ, DEPOIS DO OVO, A GUERRA - Komoi Paraná (Brasil, 15 min, 2008, doc)
Classificação indicativa: livre


21h
CRUELDADE MORTAL -
Luiz Paulino dos Santos (Brasil, 92 min, 1976, fic)
ESTRELA DE OITO PONTAS - Fernando Diniz e Marcos Magalhães (Brasil, 12 min, 1996, fic/ani)
Classificação indicativa: 16 anos


10/10 – SÁBADO
19h
O REALISMO SOCIALISTA -
Raúl Ruiz (Chile, 52 min, 1973, fic/doc)
AGARRANDO PUEBLO (OS VAMPIROS DA MISÉRIA) - Carlos Mayolo, Luis Ospina (Colômbia, 28 min, 1978, fic)

Classificação indicativa: 16 anos


21h
CORUMBIARA -
Vincent Carelli (Brasil, 117 min, 2009, doc)
Classificação indicativa: livre


11/10 – DOMINGO
19h

TRAGO COMIGO – Parte 1 (capítulos 1 e 2) - Tata Amaral (Brasil, 96 min, 2009, doc/fic)

Classificação indicativa: 16 anos


21h
TRAGO COMIGO – Parte 2 (capítulos 3 e 4) - Tata Amaral (Brasil, 96 min, 2009, doc/fic)

Classificação indicativa: 16 anos


Mais informações podem ser acessadas através do website

www.cinedireitoshumanos.org.br

*O formato de exibição dos filmes é BETA

F&M ProCultura - Assessoria de Imprensa

 

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

O DEMÔNIO DE CADA UM DE NÓS

O Diabo Existe Mesmo?

Livro de Hideraldo Montenegro
para adquirir acesse:
http://clubedeautores.com.br/book/4633--O_Demonio_de_Cada_Um_de_Nos

Exposição "Meu Olho Esquerdo" na Caixa Cultural São Paulo

 

Exposição "Meu Olho Esquerdo" na Caixa Cultural São Paulo

 

A mostra reúne 40 fotos que retratam o outro lado do cotidiano brasileiro  captado pelas lentes e olhar  peculiar de Ed Viggiani

 

A Caixa Cultural São Paulo (Sé)  apresenta de 19 de setembro a 1º de novembro a exposição "Meu Olho Esquerdo", do fotógrafo paulistano Ed Viggiani. A mostra reúne uma seleção de 40 fotografias (todas em preto e branco) produzidas de 1988 a 2008, período em que percorreu os quatro cantos do Brasil e suas fronteiras registrando o contraste e a diversidade étnica-cultural do País.

Elas revelam o brasileiro nas mais diversas situações do cotidiano sob um ponto de vista pessoal, muito além do registro do belo, um olhar que fita o povo, a cidade, o futebol, a religião e a condição social num instante nem sempre observado.  Este é o conceito que molda e dá nome à mostra "Meu Olho Esquerdo".  "Estou voltado para o anônimo, não à imagem oficial. É uma mania de andar na contramão", comenta o fotógrafo.

Como resultado, temas aparentemente distintos, como uma partida de futebol inserida no espaço urbano ou romeiros de várias crenças unidos pela fé ou o cotidiano de uma família de migrantes, se cruzam numa mesma linguagem visual que transpõe o estado anímico de realidades tão diversas deste Brasil de muitas nações, de muitos povos.

 

 

Serviço

Exposição "Meu Olho Esquerdo"

Local: CAIXA Cultural São Paulo – Sé – Centro

Endereço: Praça da Sé, 111 – Centro – São Paulo/SP

Abertura para convidados e imprensa: 19 de setembro de 2009, sábado, às 11h

Visitação: de 20 de setembro a 1º de novembro de 2009

Horário de visitação: de terça-feira a domingo, das 9h às 21h.

Informações e Agendamento de visitas monitoradas: (11) 3321-4400

Acesso e sanitário para pessoas com necessidades especiais.

Classificação etária: Livre

Entrada Franca

  

MAURÍCIO DE SOUSA

 
Mauricio de Sousa
Desenhista e empresário

Há 50 anos, no dia 18 de julho de 1959, foi publicada a primeira tirinha do simpático cachorrinho Bidu. Nascia o personagem que abriria as portas para os negócios de Mauricio de Sousa, que o transformaram em um dos maiores empresários do entretenimento no Brasil.

Com a criação de mais de 200 personagens, Mauricio de Sousa diversificou também os negócios com histórias em quadrinhos, desenhos animados, filmes para cinema, TV e celular e parque de diversões, além de mais de 3 mil produtos licenciados como livros, material escolar, roupas e brinquedos.

Mauricio de Sousa tem o maior estúdio de animação do Brasil e, recentemente, inovou com o lançamento da Turma da Mônica adolescente, que rapidamente se transformou em sucesso editorial. O criador da Turma da Mônica tem mais de um bilhão de revistas publicadas em 126 países e em mais de 50 idiomas.
 
A recente entrevista com Maurício de Sousa no programa RODA VIVA, da TV Cultura,
foi excelente! O consagrado desenhista demonstrou ser, além de um grande criador
de histórias para crianças e adolescentes, ser uma pessoa muito inteligente, que
procura passar aos seus leitores não apenas entretenimento, mas também mensagens bastante positivas, usando de um cuidado raro! O que só pode ajudar na formação dos futuros cidadãos. Um belo exemplo. Parabéns!
 
(Opinião: Nair Lúcia de Britto)
 
O Roda Viva é apresentado às segundas a partir das 22h10.
Você pode assistir on-line acessando o site no horário do programa.
http://www2.tvcultura.com.br/rodaviva.
 


Você sabia que pode utilizar o Messenger de qualquer tipo de celular? Saiba mais.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

artigos recentes

Professores e alunos no contexto da formação tecnológica: caminhos para uma nova discussão
 
Wellington de Oliveira
 publicado em 02/09/2009

Resumo:

Neste artigo tenho como objetivos compreender a relação tecnologia e ensino e discutir os papéis de professores e alunos em contextos virtuais de aprendizagem com base no arcabouço teórico da Complexidade – Morin (2000, 2008), Moraes (2007) e da Formação Tecnológica – Lopes (2003), Kenski (2001), dentre outros.

Palavras-chave: formação tecnológica, complexidade, aprendizagem virtual.

Abstract

In this article my objectives are understand the relationship technology and teaching and to discuss the teachers' papers and students in virtual contexts of learning with base in the theoretical outline of the Complexity - Morin (2000, 2008), Moraes (2007) and of the Technological Formation - Lopes (2003), Kenski (2001), among others.

Key-words: technological formation, complexity, virtual learning

 

 

Reflexões acerca de algumas abordagens pedagógicas da Educação Física Escolar
Marta Nascimento Marques; Hugo Norberto Krug
publicado em 02/09/2009

Resumo: No dia-a-dia de sua prática docente, o professor de Educação Física Escolar, mesmo que de forma pouco consciente, apóia-se em determinada concepção de aluno, de ensino e aprendizagem pelo qual é responsável e constrói o seu papel, o papel do aluno, bem como a metodologia, a função social da escola e os conteúdos a serem trabalhados. Frente a essa construção, dificilmente o professor seguirá uma única abordagem/concepção para desenvolver o ensino, mas utiliza-se de algumas delas como embasamento pedagógico no desenrolar de sua profissão.

Palavras-chave: Educação Física Escolar; abordagem/concepção; ensino.

 

 

Professores e alunos no contexto da formação tecnológica: caminhos para uma nova discussão
Wellington de Oliveira
publicado em 02/09/2009

Resumo:

Neste artigo tenho como objetivos compreender a relação tecnologia e ensino e discutir os papéis de professores e alunos em contextos virtuais de aprendizagem com base no arcabouço teórico da Complexidade – Morin (2000, 2008), Moraes (2007) e da Formação Tecnológica – Lopes (2003), Kenski (2001), dentre outros.

Palavras-chave: formação tecnológica, complexidade, aprendizagem virtual.

Abstract

In this article my objectives are understand the relationship technology and teaching and to discuss the teachers' papers and students in virtual contexts of learning with base in the theoretical outline of the Complexity - Morin (2000, 2008), Moraes (2007) and of the Technological Formation - Lopes (2003), Kenski (2001), among others.

Key-words: technological formation, complexity, virtual learning.

 

Conselhos de classe participativos: um estudo de caso
José Edimar de Souza
publicado em 02/09/200

Este trabalho é parte de um estudo de caso qualitativo realizado em três escolas públicas (municipal e estadual). Na busca de uma prática mais coerente em organização e gestão da avaliação da aprendizagem. Foi investigado o processo do conselho de classe participativo em Novo Hamburgo e Campo Bom, sendo uma escola municipal de Sapiranga

 

 

 

 

Reflexões acerca de algumas abordagens pedagógicas da Educação Física Escolar
Marta Nascimento Marques; Hugo Norberto Krug
publicado em 02/09/2009

 

 

Resumo: No dia-a-dia de sua prática docente, o professor de Educação Física Escolar, mesmo que de forma pouco consciente, apóia-se em determinada concepção de aluno, de ensino e aprendizagem pelo qual é responsável e constrói o seu papel, o papel do aluno, bem como a metodologia, a função social da escola e os conteúdos a serem trabalhados. Frente a essa construção, dificilmente o professor seguirá uma única abordagem/concepção para desenvolver o ensino, mas utiliza-se de algumas delas como embasamento pedagógico no desenrolar de sua profissão.

Palavras-chave: Educação Física Escolar; abordagem/concepção; ensino.

 

 

Experimentando Saramago
 Margarete Husendeger
 publicado em 02/09/2009

 

 

Ler é uma daquelas experiências da qual nunca saímos os mesmos. Não importa se o livro é bom ou ruim, ele sempre irá nos transformar, nem que seja pelo simples ato de fechá-lo antes de o termos concluído. No entanto, existem leituras que nos marcam de tal maneira que passam a fazer parte de nossas vidas. Terminamos de ler um livro sentindo que algo de muito especial nos aconteceu.

 

 

 

Sonho, logo existo!
 
Valfrido Nunes
 publicado em 02/09/2009

 

 

Já me arrisquei em momento outros a refletir sobre a vida, mas assumo a minha pequenez diante de tema tão grandioso. Não sou expert no assunto, mas sou ousado a ponto de deixar escorrer “na superfície estrelada de letras” o que ora penso. Digo e repito que a vida não se faz somente no presente, no momento, no aqui e no agora. O sentido da vida também está na história, no já vivido e, sobretudo, no invisível, no não vivido, enfim, no que está por vir.

 

 

Museu do Futebol homenageia centenário do Corinthians

 
 

Museu do Futebol homenageia centenário do Corinthians

 

Palestra com o jornalista Celso Unzelte e exibição do filme Fiel, seguida de bate-papo com os roteiristas Marcelo Rubens Paiva e Serginho Groisman, são as atrações do Museu para homenagear o clube.

 

A partir de 1º de setembro, iniciam-se as comemorações dos 100 anos de fundação do Sport Clube Corinthians Paulista. Para homenagear um dos mais tradicionais times da cidade, o Museu do Futebol - instituição do Governo do Estado de São Paulo, localizado no Estádio do Pacaembu – promove palestra com o jornalista Celso Unzelte sobre as curiosidades do centenário, e exibe o filme "Fiel", de Andrea Pasquini, com roteiro de Marcelo Rubens Paiva e Serginho Groisman.

A palestra "Corinthians: 100 anos em dez décadas", de Unzelte, acontece no sábado, 12/09 e é fruto da parceria do Museu com o Memofut – grupo de literatura e memória do futebol. Para cada década, o jornalista abordará um tema pouco conhecido do grande público, como por exemplo, a primeira notícia de jornal que relata a fundação do clube, nos anos 1910. Para retratar os anos 1920, a plateia ouvirá o primeiro hino e conhecerá mais detalhes sobre os autores e o contexto da composição. Já os anos 1950 serão relembrados com a narração da invasão do gramado do Pacaembu pela torcida após a conquista do título do IV Centenário de São Paulo, em 1954, entre muitas outras curiosidades.

 

No dia 25/09, sexta-feira, o Programa Cinema no Museu exibe o filme "Fiel", de Andrea Pasquini e com roteiro de Marcelo Rubens Paiva e Serginho Groisman. Após a sessão, os roteiristas batem um papo com o público presente. A sessão acontece às 18h30 no Auditório Armando Nogueira.

 

Lançado neste ano, o longa é um documentário feito por e para corintianos, com imagens e depoimentos de torcedores e jogadores. Focado nos anos de 2007 e 2008, o filme acompanha o time e sua torcida em seu momento mais difícil, mas de também de maior união, o do rebaixamento para a série B do Campeonato Brasileiro.

O Sport Clube Corinthians Paulista foi fundado por operários em 1º de setembro de 1910, após assistirem a uma partida de uma equipe inglesa. Na ocasião, o então presidente do clube Miguel Bataglia afirmou "o Corinthians vai ser o time do povo e o povo é quem vai fazer o time". Em 1913, o time deixou de ser de várzea e pleiteou uma vaga junto à Liga Paulista de Futebol sendo aceito de imediato e tornando-se, assim, o quarto dos chamados "três mosqueteiros" (os outros eram Americano, Germânia e Internacional), dando origem ao mascote corintiano. 

 

Sobre o Museu do Futebol - o Museu do Futebol é uma organização social vinculada à Secretaria de Cultura do Governo do Estado. Sua realização se deu com recursos do próprio Governo do Estado e da Prefeitura de São Paulo – por meio da Secretaria de Esportes e da São Paulo Turismo – a partir do projeto concebido pela Fundação Roberto Marinho em parceria com Telefônica, AmBev, Visanet, Santander e Rede Globo, sob os auspícios da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura.

 

Programação completa:

12/09 - sábado

Palestra "Corinthians: 100 anos em dez décadas" - com Celso Unzelte

Horário: 15h00

Local: Auditório Armando Nogueira -Museu do Futebol – Praça Charles Miller, s/n.

Entrada gratuita.

 

 

 

25/09 – sexta-feira

Filme: Fiel (92 min de duração)

Horário: 18h30

Convidados: Marcelo Rubens Paiva e Serginho Groisman

Local: Auditório Armando Nogueira - Museu do Futebol – Praça Charles Miller, s/n.

Site: www.museudofutebol.org.br

Telefone: (11) 3663-3848

Entrada gratuita.

* Distribuição de senhas 30 minutos antes de cada evento.

 

 

Poema: Homenagem ao poeta negro

 

Homenagem ao poeta negro

‘’Para Samuel da Costa’’

 Samuel es um guerreio...

...pos lutas com braços fortes!

Se possível enfrentas a morte...

Pelo teu grande ideal!

   És um gigante guerreiro...

Que não medes a distância...

 A cor negra é tua estampa!

 Liberdade o ideal!

 

No peito trazes contigo a coragem dos guerreiros

Que sem medo enfrentavam relhos...

 Os troncos e humilhações...

Nas veias tu tens o sangue daqueles que não temiam...

 Que se possível morriam...

 Pra defender seus irmãos!

 

Samuel forte guerreiro, que batalha o ano inteiro!

Pra não deixar que se oponha o terror e a tirania!

Pela cor que trazes no peito e a raça que não falha...

Se possível enfrenta as balas!

O julgo e a humilhação...

Pois essa luta sagrada foi e sempre será a tua religião

 

No Brasil tu representa a África abençoada...

Tão sofrida e magoada...

Por faltar compreensão!

Es tu um guerreiro forte...

Que luta com braços fortes!

Para salvar teus irmãos.

 

Vivaldo Terres poeta em Itajaí

e-mail- vivaldoterres@yahoo.com.br 

 

 

Revista Partes

http://www.partes.com.br/2017/11/01/poema-fora-de-moda/ Poema Fora de Moda Gilda E. Kluppel No vestuário comercial calças de boca de sino...