quarta-feira, 21 de maio de 2008

Quadrilha?

A Folha de S. Paulo desta quarta (21/05/2008)estampa em sua página principal a manchete Lula elogia Serra, que elogia Kassab, que Marta lembrando a famosa poesia de Carlos Drummond de Andrade denominada Quadrilha. A manchete e os textos referem-se a cerimônia do PAC na favela Heliópolis, na zona sul de São Paulo, notadamente um reduto petista. Sobrou estocadas para Geraldo Alckimin, que não é bem visto, nem no reduto petista, nem nos demos, nem na tucanagem de alta plumagem.

terça-feira, 13 de maio de 2008

Recado





Senhores pais, familiares, professores e amigos das crianças :

*Pela vivência, erramos, acertamos e estamos aprendendo sempre!
Com muito menos experiência, o mesmo acontece no universo infantil
e é por isso que os pequeninos dependem de conteúdos pedagógicos,
da linha didática que desenvolve os valores essenciais à humanidade,
do espelhamento que devemos ser para cada um deles!
Para que sejam melhores do que um dia fomos!

*Transcrito do diálogo com Marcelo.

sábado, 10 de maio de 2008

Vitória da Filosofia e da Sociologia no Senado Federal

Vitória da Filosofia e da Sociologia no Senado Federal

Lejeune Mato Grosso Xavier de Carvalho *
Emmanuel José Appel **


Nesta quinta-feira, 8 de maio de 2008, um dia histórico para sociólogos e filósofos, o plenário do Senado aprovou, um pouco antes das quinze horas (sua sessão, que habitualmente se inicia um pouco mais tarde, teve sua abertura por volta das onze horas da manhã) aprovou a obrigatoriedade das disciplinas de Sociologia e Filosofia no currículo do Ensino Médio de todas as escolas públicas e privadas do país.

Eram exatamente 14h35 quando a brava senadora Ideli Salvatti assim se manifestou: "gostaria de solicitar uma inversão de pauta para o PLC 04/08 que inclui a Sociologia e a Filosofia como disciplinas obrigatórias no currículo do Ensino Médio". A votação só foi possível no plenário do Senado porque na última terça-feira, às 12h, na reunião ordinária da Comissão de Educação do Senado, o PLC 04/018 havia sido aprovado por unanimidade e um requerimento de urgência para votar no plenário havia também sido aprovado, de autoria do combativo senador Valter Pereira, do PMDB/MS, que deu parecer pela aprovação do projeto de autoria do deputado socialista Dr. Ribamar Alves, do PSB/MA.

Só haveria concordância com a inversão se ninguém discutisse a matéria (a presidência da mesa não queria atrasar a votação de outros projetos) e foi exatamente isto que aconteceu: por unanimidade a Filosofia e a Sociologia estão de volta e vão agora à sanção presidencial.

"Hoje fizemos um grande benefício à juventude brasileira", afirmou a senadora Ideli Salvatti. Na discussão da proposta, a senadora Ideli Salvatti (PT/SC) saudou o retorno das duas disciplinas ao Ensino Médio, 37 anos depois de serem excluídas do currículo por decisão do regime militar em 1971, com a Lei 5.692, tendo sido, então, substituídas pela disciplina Educação Moral e Cívica. A senadora frisou ainda que a proposta tramitava há onze anos no Congresso Nacional.

Queremos de público agradecer a algumas pessoas, assessores, que nestes últimos três dias, desde a terça dia 6 de maio, que mantivemos uma equipe de plantão permanente em Brasília, integrada, além de nós do Sinsesp e do Fórum Sul, pela colega socióloga Graziela Lara (DF) e Antônio Bráz (MG). São os seguintes os colegas, amig@s e companheir@s que nos ajudaram: Zuleide Teixeira (da liderança do PT no Senado), Chica Picanço (do gabinete do deputado Ângelo Vanhoni (PT/PR), João da Silveira (do gabinete do Senador Valter Pereira, PMDB/MS), Júlio Linhares (secretário-executivo da Comissão de Educação, Cultura e Esportes do Senado), Ronald Pinto (do gabinete da Senadora Fátima Cleide (PT/RO), José Veríssimo Teixeira da Mata (consultor legislativo da Câmara dos Deputados), Carlos Décimo (gabinete do senador Inácio Arruda PCdoB/CE), Márcio Nuno Rabat (consultor legislativo da Câmara dos Deputados) e Aires das Neves Junior (chefe de gabinete do senador Flávio Arns (PT/PR).

Nos próximos dias, circularemos informações mais detalhadas sobre a aprovação histórica nesta data, bem como daremos ampla divulgação do dia e hora da sansão presidencial da Lei que irá alterar de forma definitiva a obrigatoriedade do ensino de Sociologia e Filosofia em todas as escolas de Ensino Médio do país, públicas e privadas.

Estamos propondo ao presidente Lula que façamos um grande ato, um evento nacional no Palácio do Planalto, com as presenças de ministros de estados, entidades nacionais como a CNTE, CONTEE, UNE, UBES, SBS, ANPOF, Sinsesp, Apeoesp e Fórum Sul e demais entidades da sociedade civil que nos apoiaram nessa histórica luta pelo menos nos últimos 11 anos. Vamos lembrar e homenagear todos os que nos ajudaram e apoiaram. Aguardem maiores informações. Um forte abraço a tod@s

* Sociólogos e Presidente do Sindicato dos Sociólogos do Estado de São Paulo
** Filósofo e Coordenador do Fórum Sul Brasileiro de Filosofia e Ensino

Extraído do : Notícias do Sinsesp - Boletim nº 23 – 9 de maio de 2008
site do Sindicato: www.sociologos.org.br

terça-feira, 6 de maio de 2008

Quando nascemos

Quando nascemos estamos no “ponto”. Os adultos que cuidam de nós, nos(des)educam. Tínhamos algumas características que hoje nos faltam. Éramos determinados, insistíamos até alcançar nossas metas: aprendemos a andar, após várias tentativas e mtos fracassos. Não nos importávamos com o ridículo: Ficávamos um tempão experimentando sons “esquisitos”, até conseguirmos pronunciar palavras e depois frases. Quando incomodados,não engolíamos nosso incômodo. “Botávamos a boca no mundo”. Éramos sinceros e curiosos: quando tínhamos uma dúvida, insistíamos em perguntar até que fosse esclarecida. À medida que crescemos (des)aprendemos muito. Passamos a ser inseguros e desanimar de nossos sonhos,temendo fazer papel de ridículo. Deixamos de alcançar as metas, por nos inibir e mentir em algumas situações.Ficamos com dúvidas, temendo fazer papel de pouco inteligente e ainda aprendemos engolir e remoer várias chateações, para passar a imagem de bonzinhos e “legais”. E se o bebê nascesse com estas características que nos foram ensinadas? Por Maria Aparecida Francisquini

MÃE






DA ROSA MAIS LINDA
NASCI COMO PÉTALA SUAVE!
CRIEI-ME EM TEU ACONCHEGO,
EMBALADA (o) POR MÃOS DE FADA,
RECEBENDO MIMOS E PERFUMES DE CARINHO,
NA BELEZA DO TEU COLO,
JARDIM DE AMOR!
MÃE,

ESSÊNCIA QUE BROTA
NO PEITO E ENRAIZA NA ALMA,
CAULE QUE SUSTENTA
E FORTALECE MEU VIVER!
MÃE,
FLOR QUE ALIMENTA O ENCANTO!
ÉS MOTIVO DO MEU CANTO,
SOU TUA SEMENTE
GERMINANDO ARDENTE,
REGADA (o) POR TUA PAIXÃO!
MÃE,
ROSA RAINHA,
NÃO ARRANHA,
NÃO ESPINHA,
PREENCHE O MUNDO DE COR!
TENS O VERDE DA ESPERANÇA,
LANÇA-GUIA,
RECANTO DE EMOÇÃO!
MÃE,
RECEBAS HOJE COM ALEGRIA,
COM TEUS OLHOS DE PUREZA,
CHEIOS DE TERNURA,
ESTA HOMENAGEM,
A MINHA CERTEZA!
A GENTILEZA,
O MEU AMOR E GRATIDÃO!
TE AMO!

Partes Mirim

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Inclusão Social e Turismo

Inclusão social, cidadania e turismo – uma investigação sobre a existência de serviços adaptados às pessoas com necessidades especiais nos meios de hospedagem da região metropolitana de Curitiba
Elizabete Sayuri Kushano
Wolney Gomes Almeida
RESUMO

O presente trabalho reflete sobre a importância da inclusão social no Turismo, especialmente junto às pessoas com necessidades especiais. Aborda o conceito de inclusão social e o direito do exercício da cidadania. Como procedimento metodológico utilizou-se de uma busca em todos os sites oficiais dos meios de hospedagem da Região Metropolitana de Curitiba (RMC) com o intuito de verificar se em tais há adequações (instalações, equipamentos, serviços, etc.) para o hóspede com necessidades especiais, bem como investiga (e/ou confirma), por meio de entrevista por telefone, quantas unidades habitacionais adaptadas existem no meio de hospedagem e qual (is) necessidade(s) especial (is) é (são) atendida(s). Foram identificados 115 meios de hospedagem na RMC com site em funcionamento no período da pesquisa. Desses, 25 informam ter unidades habitacionais adaptadas (UHs), totalizando 37 UHs em toda a RMC. Porém, todas são direcionadas para cadeirantes. Raros meios de hospedagem possuem informação em braile e nenhum possui atendimento em língua de sinais. A inclusão social e cidadania refletem em expor empresas socialmente responsáveis. Seja pelo caráter da filosofia da própria empresa, ou mesmo para cumprir determinada legislação, como também para assegurar uma boa imagem perante a sociedade, o fato é que ter produtos e serviços que abarquem a inclusão de pessoas com necessidades especiais está, felizmente, sendo menos incomum.

PALAVRAS-CHAVE: turismo; inclusão social; pessoas com necessidades especiais; surdos.

MANIFESTO – Coletivo Paulo Freire por uma Educação Democrática

MANIFESTO – Coletivo Paulo Freire por uma Educação Democrática : “Defender Paulo Freire como ‘Patrono da Educação Brasileira’ é defender nos...