sexta-feira, 27 de junho de 2014

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Estádios deixarão legados para cidades-sede

Arenas construídas para Copa serão reutilizadas de maneira eficiente tornando-se legados para a população. Cidades-sedes possuem projetos para utilizarem arenas pós-mundial


Mineirão - Belo Horizonte - MG

Localizado no bairro da Pampulha e inaugurado em 5 de dezembro de 1965, o Estádio Governador Magalhães Pinto pertence ao governo estadual de Minas Gerais. Um dos templos do futebol brasileiro, casa dos multicampeões nacionais Atlético Mineiro e Cruzeiro, o antigo Mineirão possui capacidade para 57.483 espectadores e está completamente reformado para receber seis jogos da Copa do Mundo da FIFA, incluindo um confronto de semifinal. Grandes atacantes como Ronaldo, Tostão, Reinaldo e Dario já tiveram o estádio como sua vitrine.
O projeto de modernização incluiu o rebaixamento do campo, melhoria em sua acessibilidade e outros quesitos, sempre guiados por princípios de sustentabilidade - levando em conta, por exemplo, a reutilização da água de chuva com uma capacidade de armazenamento de até 6.270.000 litros.
Situação: 100% concluído, com área construída de 209 mil m².
Estádio Nacional Mané Garrincha - Brasília - DF

Seguindo os padrões de uma das cidades mais modernas do País em termos de arquitetura, o Estádio Nacional de Brasília é um dos mais imponentes – e o segundo maior, com capacidade para 68.009 espectadores – da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. O antigo estádio Mané Garrincha, praticamente demolido, deu lugar a uma arena que conta com uma nova fachada, com cobertura em estrutura metálica, novas arquibancadas e um gramado rebaixado para permitir uma visão completa do jogo.
Com projeto de construção ecologicamente responsável, voltado à emissão zero de carbono, à reciclagem e ao acesso total por meio do transporte público, ele serve para consolidar o nome da capital como referência mundial em planejamento sustentável, deixando um legado importante outros setores da economia local. Este será o terceiro estádio da capital brasileira, somando-se ao Serejão, casa do Brasiliense, e ao Bezerrão, que foi recentemente reformado e reinaugurado em 2008. Após a Copa, a ideia é que a arena seja usada para shows e espetáculos culturais de grande porte.
Situação: 100% concluído, com área construída de 218 mil m².
Arena Pantanal - Cuiabá – MT

O Estádio José Fragelli foi reformado e abrigará os jogos da Copa do Mundo. À beira de uma região de flora e fauna tão riquíssima como a do Pantanal não poderia deixar de apresentar entre suas metas a construção e manutenção de uma estrutura sustentável, desde a concepção de seu projeto. Essa orientação está voltada para cada detalhe: a madeira usada na edificação é certificada, e os resíduos e entulhos passaram por um processo de reciclagem e reaproveitamento na própria obra e em suas vias de acesso. A qualidade do ar também é constantemente monitorada, assim como a do solo. Desta forma, o apelido "Verdão" dificilmente vai ser esquecido.
Especialmente construída para o torneio, a Arena Pantanal terá capacidade para 42.968 espectadores e vai acolher quatro partidas do Brasil 2014. Esse espaço multiuso terá, no entanto, uma estrutura modelar, que poderá ser reduzida depois do Brasil 2014.  Coberta, ela poderá receber eventos diversificados, como shows, exposições e feiras. Clubes tradicionais como o Mixto e o Operário também poderão aproveitar essa estrutura.
Situação: 100% concluído, com área construída de 101, 4 mil m².
Arena da Baixada - Curitiba - PR

Desde que foi reinaugurado em junho de 1999, o tradicional Estádio Joaquim Américo, conhecido como Arena da Baixada, tem a reputação de ser um dos mais modernos e bem estruturados do Brasil.
Para receber o evento, o estádio passa por mais uma fase de obras, durante a qual receberá uma série de adaptações e em que será construído mais um lance de arquibancadas paralelas ao campo. A capacidade será aumentada assim para 40 mil pessoas, a fim de que o estádio possa abrigar quatro jogos do Mundial de 2014.
Situação: 91% concluído, com área construída de 126 mil m².
Castelão - Fortaleza - CE

Não é raro ver o torcedor cearense dar demonstrações de paixão pelo futebol e pelos dois principais times da cidade, Ceará e Fortaleza. Agora, ele tem uma casa nova para acompanhar os clássicos da Copa do Mundo. Construído em 1973, o Estádio Governador Plácido Castelo, conhecido popularmente como Castelão, foi inteiramente reformado para acolher confortavelmente públicos de até 58.704 pessoas. A arena ganhou um estacionamento coberto com 1.900 vagas e conta com estrutura de camarotes, área VIP, setor de imprensa, zona mista e vestiários totalmente renovados. Todos os assentos são protegidos por uma cobertura, mesmo aqueles situados no anel inferior, mais próximo ao gramado.
O que também muda no Castelão é o acesso. Com a construção de quatro corredores exclusivos de ônibus, de uma linha de VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) e de duas estações de metrô, o torcedor tem muito mais facilidade de locomoção, tanto para os jogos como para os restaurantes, cinemas, hotel e o centro olímpico que devem fazer parte do complexo.
Tudo isso, somado à grande expectativa do torcedor, deve fazer do Castelão um dos palcos mais animados nos dois grandes eventos de 2013 e 2014. Na Copa do Mundo, ele será a casa da Seleção Brasileira no segundo jogo da primeira fase, com certeza de apoio maciço como o registrado em março de 2002, no jogo que marcou a volta do atacante Ronaldo aos gramados antes do Mundial do Japão/Coreia do Sul.
Situação: 100% concluído, com área construída de 155 mil m².
Arena Amazônia - Manaus - AM

A Arena Amazônia, antigo Estádio Vivaldão, pode não ser um palco tradicional do futebol brasileiro, mas certamente atrairá um grande número de torcedores graças à sua localização privilegiada, no coração da maior floresta em área contínua do mundo. Inspirado nela, aliás, o projeto do estádio prevê a construção de uma estrutura metálica similar à de um cesto de palha típico da região, que protegerá a parte externa das arquibancadas. Todo o processo se encaixará nas normas de sustentabilidade, que devem deixar um importante legado à região e ainda preservar a diversidade da Floresta Amazônica.
As águas da chuva, por exemplo, serão armazenadas para uso posterior nos banheiros ou para a irrigação do gramado. Já a luz solar, abundante nesta parte do País, deverá gerar energia limpa e renovável. Por fim, algumas paredes vegetais contribuirão para a redução dos gastos de energia e, sobretudo, para o controle da temperatura dentro do estádio. A Arena Amazônia terá 42.377 lugares, restaurantes, estacionamento subterrâneo e um acesso por meio de um corredor de ônibus e monotrilho. Ela receberá quatro jogos de primeira fase da Copa do Mundo e servirá posteriormente como um grande pólo de atração turística para shows e eventos na região.
Situação: 100% concluído, com área construída de 170 mil m²
Arena das Dunas - Natal - RN

Desde o ano de sua construção, 1972, o Estádio João Cláudio de Vasconcelos Machado, o Machadão, abrigou no bairro Lagoa Nova os maiores jogos de futebol da capital do estado do Rio Grande do Norte, sobretudo aqueles envolvendo seus três maiores times – o ABC, que disputou a Série A do Campeonato Brasileiro pela última vez em 1985; o Alecrim (1986) e o América (2007).
Para que a capital potiguar se tornasse uma das 12 sedes da Copa do Mundo da FIFA Brasil, porém, era necessária uma estrutura maior e mais moderna. A solução encontrada foi demolir completamente tanto o Machadão quanto o ginásio anexo Humberto Nesi, conhecido como Machadinho.O resultado é o projeto do Estádio das Dunas, cuja referência a uma das atrações naturais mais impressionantes da região de Natal não se limita ao nome, mas também à ousada construção ondulada que imita dunas de areia.
Situação: 100% concluído, com área construída de 120 mil m²
Beira-Rio - Porto Alegre - RS

Erguido em uma área aterrada do Rio Guaíba, um dos cartões-postais de Porto Alegre, o Beira-Rio é a casa do Sport Club Internacional, que divide com o arquirrival Grêmio os holofotes do polarizado futebol gaúcho. Cenário de tantos Gre-nais emocionantes e de quatro decisões da Copa Libertadores da América, o estádio se prepara para sua mais importante missão: receber cinco jogos da Copa do Mundo, um deles válido pelas quartas de final do torneio.
Maior estádio da região Sul do País, o “Gigante do Beira-Rio”, batizado Estádio José Pinheiro Borda, foi inaugurado em 1969 depois de quase uma década de obras em que a participação da torcida do Inter foi efetiva: os colorados contribuíram com tijolo, cimento e ferro, e alguns chegaram a deixar o Estádio dos Eucaliptos quando o time ia mal para “torcer” pelos pedreiros que trabalhavam no Beira-Rio.
O projeto de modernização do Beira-Rio, custeado pelo próprio Internacional através do programa “Gigante para Sempre”, tem como ponto alto a instalação de uma inovadora cobertura metálica que protegerá os assentos, as rampas e o acesso aos portões. O projeto modular foi adotado para garantir a agilidade da construção, dividida em etapas, e evitar a interdição do estádio durante as obras. Depois da reforma, o Beira-Rio terá capacidade para 50.287 espectadores.
Situação: 100% concluído, com área construída de 171 mil m²
Arena Pernambuco - Recife – PE

Recife, uma cidade entusiasta do futebol, que abriga três clubes tradicionalíssimos em cenário nacional como Náutico, Santa Cruz e Sport. A arena, cercada por outros empreendimentos, fica localizada em São Lourenço da Mata, na zona metropolitana da cidade, a 19 km do Aeroporto Internacional dos Guararapes. O projeto é visto como uma alavanca econômica para a expansão da Grande Recife, em uma região considerada carente. Estima-se que o local se desenvolva em um bairro com cerca de cinco mil unidades residenciais.
Com capacidade para 42.849 pessoas e construída por meio de uma parceria público-privada, a Arena Pernambuco passa a acolher partidas do Náutico, depois de acordo fechado com o clube alvirrubro em outubro de 2011.
Situação: 100% concluído, com área construída de 128 mil m².
Maracanã - Rio de Janeiro - RJ

Construído para a Copa do Mundo da FIFA 1950 e imortalizado como palco da inesquecível final entre Brasil e Uruguai, um dos capítulos mais marcantes da história do torneio, o Estádio Jornalista Mário Filho, no Rio de Janeiro, reassume a condição de protagonista no Brasil 2014. Estádio que abrigará o maior número de partidas da competição, sete confrontos no total, o Maracanã receberá a grande decisão no dia 13 de julho.
De cara nova para o Mundial, o estádio que ficou conhecido como “Maior do Mundo” – chegou a receber 200 mil torcedores e detém vários dos maiores recordes de público da história do futebol – tem agora capacidade para 73.531 espectadores e continua sendo o maior do País. Respeitando sua concepção original, o projeto de reforma incluiu a demolição total do anel inferior para a construção de uma nova arquibancada com melhor visibilidade, a maximização das rampas monumentais e a substituição de todos os assentos, além da instalação de uma nova cobertura, que captará água da chuva para reuso. A fachada, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, permanecerá intacta.
Segundo ponto turístico mais visitado do Rio de Janeiro, o Maracanã não deixou de receber apaixonados por futebol de todas as partes do mundo durante as obras. Os visitantes puderam acompanhar a movimentação dos operários da Torre de Vidro, criada especialmente para a ocasião, e até levar para casa um pedaço do estádio como lembrança.
Situação: 100% concluído, com área construída de 240 mil m².
Fonte Nova - Salvador - BA

Primeira capital do Brasil, Salvador receberá a Copa do Mundo em casa nova. Palco de grandes confrontos do futebol baiano como o clássico Ba-Vi, a Fonte Nova, oficialmente Estádio Octávio Mangabeira, foi implodida para dar lugar a uma moderna arena com capacidade para 52.048 espectadores, que sediará quatro confrontos da primeira fase do torneio.
Inaugurado em 28 de janeiro de 1951, o estádio da capital baiana foi utilizado até novembro de 2007 e três anos depois foi demolido. A novíssima Arena Fonte Nova teve as características originais mantidas e ganhou uma cobertura com estrutura metálica leve, além de um restaurante panorâmico e um museu do futebol. O complexo passará a abrigar muito mais do que partidas de futebol: prédios que comportarão estacionamento, shopping, hotéis e uma casa de shows fazem parte do projeto, que seguiu um modelo de parceria público-privada.
A nova estrutura certamente está à altura das partidas que serão disputadas no gramado da Fonte Nova. Três dos quatro duelos que acontecerão no estádio durante a primeira fase terão como protagonistas cabeças de chave de seus grupos. A capital baiana ainda receberá uma partida eliminatória das oitavas de final e uma das quartas de final.
Situação: 100% concluído, com área construída de 126,5 mil m².
Arena Corinthians - São Paulo - SP

Dos três maiores clubes da cidade de São Paulo, o único que não possuía um estádio particular com tamanho e infraestrutura suficientes para abrigar seus jogos era justamente aquele de torcida mais numerosa: o Sport Club Corinthians Paulista. Pois o antigo sonho da nação corintiana convergiu com a realização da Copa do Mundo e o resultado foi a construção da Arena de São Paulo, no bairro de Itaquera, na Zona Leste da cidade – um tradicional reduto de corintianos.
O projeto de construção do estádio – cujo término está previsto para o início de 2014 – prevê o fomento à Zona Leste, uma das regiões da capital paulista mais carentes de recursos, onde vivem quase 4 milhões de pessoas, e a qualificação profissional de centenas de trabalhadores. No total, cerca de seis mil pessoas devem ser empregadas direta e indiretamente ao longo do período de construção. A Arena de São Paulo foi a escolhida para receber a partida de abertura da Copa do Mundo, e abrigará ainda outros cinco jogos, entre os quais uma das semifinais.
Situação: 97% concluído, com área construída de 189 mil m².
Fonte:Fifa
Portal Brasil

sexta-feira, 20 de junho de 2014

“Copa do Mundo gerou mais de 15% dos 4,8 milhões de empregos criados ao longo do governo Dilma”

ENTREVISTA

Vicente Neto, presidente da Embratur

“Copa do Mundo gerou mais de 15% dos 4,8 milhões de empregos criados ao longo do governo Dilma”

Rio de Janeiro (19 de junho de 2014) – A entrevista abaixo foi produzida pela equipe do Centro Aberto de Mídia (CAM) João Saldanha, no Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro.


Qual a estimativa do total de empregos gerados pela Copa no setor do turismo?
Presidente da Embratur, Vicente Neto - O total geral de novos postos de trabalho com a Copa chega perto de 1 milhão. Desse total, 710 mil são empregos fixos e outros 200 mil são postos temporários. Diretamente na cadeia do turismo, foram injetados 50 mil trabalhadores. Isso significa que a Copa do Mundo representa mais de 15% da geração dos empregos ao longo do governo da Presidenta Dilma Rousseff.

De que maneira grandes eventos como a Copa do Mundo podem impulsionar o setor de turismo no Brasil?
Vicente Neto - Eu julgaria que a Copa do Mundo põe o setor de Turismo num novo patamar. Só com este evento estamos criando cerca de 1 milhão de postos de trabalho diretos, fora os indiretos. Adicione a isso os cerca de R$ 30 bilhões que, segundo a pesquisa da FIPE, serão injetados na nossa economia. Apenas no setor de Turismo estimamos movimentar R$ 6,7 bilhões, com gastos dos 3,7 milhões de turistas nacionais e estrangeiros que irão circular pelo País durante o evento.

É importante ressaltar que esses novos empregos são, em grande parte, de maior qualificação profissional. Isso porque estamos seguindo a determinação da Presidenta Dilma de implementar o Pronatec Turismo, uma vertente do Pronatec, o maior programa de formação de mão de obra técnica da história do Brasil.

Quais são os principais investimentos feitos qualificação profissional no setor turístico relacionados ao Mundial?
Vicente Neto - Foram R$ 16,3 milhões no Pronatec Turismo, que treinou mais de 160 mil brasileiros para receber bem os turistas nacionais e de outros países. Somente em cursos de idiomas, foram quase 30 mil matrículas. Mas quando eu me refiro à formação de mão de obra não é só a vinda do Pronatec, não é só curso de línguas. A cadeia inteira está sendo beneficiada. O Sistema S fez cursos para a formação de artesãos, houve cursos em todas as cidades-sede com taxistas, motoristas de ônibus, entre outros.

Que impacto a Copa deverá ter na atração de turistas estrangeiros ao Brasil?
Vicente Neto  - Com a Embratur, realizamos uma ação internacional forte chamada Goal to Brazil. Nós fomos a 14 países e agora estamos colhendo o resultado de nossa circulação da promoção com a vinda de turistas bem informados sobre o País. São cerca de 600 mil turistas de outros países que virão ao Brasil durante a Copa. Nós fizemos, por exemplo, dois eventos promocionais fortes nesse período na Colômbia, que é o quinto comprador de ingressos estrangeiros.

Como a experiência da Copa vai ajudar na promoção do Brasil como destino turístico daqui pra frente?
Vicente Neto - Nós vamos levar o caso de sucesso da Copa do Mundo no Brasil para um calendário de feiras no segundo semestre, mostrando como esse caso de sucesso pode influenciar o fechamento de negócios. Agora vamos fazer em conjunto com a Apex [Agência Brasileira de Promoção de Exportações], o que é também uma novidade. Nós vamos maximizar o esforço brasileiro de venda lá fora, da imagem e de produtos, de uma forma só.


quinta-feira, 19 de junho de 2014

Chilenos que invadiram Maracanã não poderão voltar ao Brasil até o fim da Copa

Flávia Villela - Repórter da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger
banner Brasil 2014
A Polícia Federal (PF) informou hoje (19) que o grupo de 85 chilenos presos ontem depois deinvadirem o Centro de Mídia do Maracanã, zona norte do Rio de Janeiro, não poderão voltar ao Brasil até o fim da Copa do Mundo. Os dados colhidos foram lançados no sistema de imigração da PF, para impedir que os envolvidos entrem em território nacional durante o Mundial de futebol, caso algum deles tente retornar ao Brasil.
Os torcedores chilenos foram liberados pela Polícia Civil ontem (18) à noite e tem até sábado para deixarem o país se não quiserem ser deportados. Ainda segundo a corporação, havia um menor de idade entre os detidos que participou da invasão ao estádio com o pai, também notificado. O grupo foi autuado com base no Estatuto do Torcedor e o caso será encaminhado ao Juizado Especial Criminal (Jecrim). Os estrangeiros se reservaram o direito de só falar em juízo.
Nos passaportes e tarjetas (cartões de entrada) dos chilenos consta a notificação de saída e prazo de entrada. Por acordo internacional, paraguaios, argentinos, chilenos e uruguaios podem entrar no Brasil apenas com suas identidades. Ao ingressarem, recebem um documento chamado de tarjeta, que obrigatoriamente deve ser apresentado às autoridades brasileiras durante o deslocamento pelo Brasil e que comprova a entrada regular no país, bem como o prazo de estada. Para quem apresenta passaporte no ingresso no território nacional, como foi o caso de dois chilenos, essas informações são inseridas no documento de viagem. Caso algum dos detidos tente voltar ao Brasil e seja identificado por agente público, será encaminhado a uma unidade da PF para deportação sumária.

Petrobrás recebe projetos esportivos

Estão abertas as inscrições para o Programa Petrobras Esporte e Cidadania, que receberá projetos de organizações da sociedade civil que promovam o esporte por todo o país.


No total, a Petrobras disponibilizará 45 milhões de reais, financiando projetos com até 2 milhões e 500 mil reais. Para poder enviar propostas e receber o financiamento a organização deve ter pelo menos um ano de existência formal e estar registrada no Conselho Municipal da Criança e do Adolescente, sendo possível enviar até três projetos neste edital.

 As inscrições poderão ser feitas até o dia 14 de julho, online, mas alguns documentos deverão também ser enviados por carta, conforme consta no edital lido pela ABCR.


Para saber informações completas desta oportunidade, acesse aqui. http://captacao.org/recursos/editais-abertos/1262-petrobras-recebe-projetos-esportivos

Esportes em Partes: Petrobrás recebe projetos esportivos

Esportes em Partes: Petrobrás recebe projetos esportivos: Estão abertas as inscrições para o   Programa Petrobras Esporte e Cidadania , que receberá projetos de organizações da sociedade civil q...

Esportes em Partes: Petrobrás recebe projetos esportivos

Esportes em Partes: Petrobrás recebe projetos esportivos: Estão abertas as inscrições para o   Programa Petrobras Esporte e Cidadania , que receberá projetos de organizações da sociedade civil q...

Mario Sergio Conti confunde Felipão com sósia e comete gafe ao publicar “conversa com técnico da seleção”

Os jornais O Globo e Folha de S. Paulo foram responsáveis pela publicação de uma 'barriga' na noite dessa quarta-feira, 18. Isso porque as versões digitais de ambos os veículos de comunicação deram espaço para o texto produzido por Mario Sergio Conti. Colunista dos dois diários, o jornalista assinou uma suposta entrevista com o treinador da seleção brasileira de futebol, Luiz Felipe Scolari. A "conversa" ganhou destaque, até se descobrir que o profissional tinha confundido Felipão com um sósia.
Ao iniciar o texto em que apresentava a "entrevista", Conti, que também é apresentador na Globonews, afirmou que o comandante do selecionado que luta pelo hexacampeonato mundial estaria "um tanto apreensivo com o céu carregado", mas que "respondeu de bom grado tudo que lhe foi perguntado". A "exclusiva" com Felipão aconteceu no avião, durante o voo, que de acordo com o jornalista, levou a delegação brasileira do Rio de Janeiro para São Paulo. Na matéria, retirada do ar por Folha e O Globo (mas que pode ser lida graças ao serviço de arquivo do Google), há detalhes até sobre a poltrona que teria sido usada pelo treinador: a 25E.
Estaria tudo certo com o texto publicado às 21h19, que trouxe declarações de Felipão elogiando Neymar, os aeroportos brasileiros e, em certa medida, tecendo críticas ao próprio time. O problema é que no início da madrugada desta sexta-feira, 19, os dois jornais descobriram que o colunista cometeu, na verdade, uma gafe. Conti não tinha falado com o treinador da seleção brasileira, mas com um sósia, que inclusive entregou ao jornalista o cartão de visitas com as seguintes informações: "Vladimir Palomo – Sósia de Felipão – Eventos".
Com a 'barriga' revelada, O Globo e Folha publicaram, novamente, o mesmo texto relacionado a Conti, mas dessa vez para deixar seus leitores a par do equívoco cometido. Na chamada do "erramos", o jornal do Grupo Folha preferiu destacar que o colunista foi "vítima de trote" (apesar de, aparentemente, o sósia não ter se passado pelo Scolari original para ludibriar o entrevistador). "Felipão não estava em um voo do Rio para São Paulo. Ele passou o dia em Fortaleza", descobriram as duas publicações. "Mario Sergio Conti pede desculpas a Scolari, a Palomo e aos leitores pela confusão".
sosia-felipao-mario-sergio-contiSósia de Felipão foi o verdadeiro entrevistado de Mario Sergio Conti (Imagem: Divulgação/GShow)

http://www.partes.com.br/2014/06/19/os-cinco-gols-da-copa-do-mundo/

por Adriano Gonçalves

sexta-feira, 13 de junho de 2014

O primeiro degrau foi vencido

O primeiro degrau foi vencido

O quadro já estava montado. Faltava a pintura final. Nas ruas o clima já estava dado desde a manhã. Bandeiras e buzinas, carros, casas e pessoas prontas para a primeira batalha entre as sete necessárias para o Brasil sagra-se campeão da Copa do Mundo de 2014.

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Amazonas recebe a I Copa de Futebol Ribeirinho

Apoiada pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS), iniciativa durante a Copa do Mundo de 2014 contará com a participação de 38 times
Manaus, 11 de junho de 2014 – Durante a Copa do Mundo de 2014, o Amazonas também receberá I Copa de Futebol Ribeirinho. Realizada pela Associação das Comunidades Sustentáveis do Rio Negro (ACS Rio Negro), a iniciativa conta com apoio da , por meio do Programa Bolsa Floresta (PBF) em seu componente Social e de diversos parceiros. Iniciada no próximo sábado (14/06), a Copa terá sua estreia na Comunidade Tumbira (1h de lancha de Manaus), a partir das 8h, envolvendo 38 times divididos nas categorias master, masculino, feminino e sub-17. Outras duas rodadas acontecerão no domingo (29/06), na Comunidade Santa Helena do Inglês, e em 06/07, na comunidade do Saracá.
“A realização da I Copa de Futebol Ribeirinho do Rio Negro é mais uma iniciativa para fortalecer o turismo de base comunitária na região. Assim, os turistas que vierem a Manaus poderão complementar o prazer de ver os jogos da Arena da Amazônia com uma experiência cultural única”, comenta o superintendente geral da FAS, Virgílio Viana.
Os ribeirinhos organizaram esta Copa para oferecer aos turistas e visitantes uma atração adicional aos roteiros propostos pela campanha Passaporte Verde (www.passaporteverde.org.br), iniciativa do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), com seis comunidades da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Rio Negro. Este roteiro inclui pernoite em pousada sustentável e a possibilidade de acompanhar a Copa de Futebol Ribeirinho.
“Esse campeonato tem muito significado para a reserva, pois serve como uma ferramenta de inclusão entre todas as comunidades e pessoas da reserva. A economia gira, pois cada comunidade recebe visitantes de todas as outras, e esse impacto é sempre muito positivo”, explica José Roberto Nascimento, presidente da Associação de Moradores da RDS Rio Negro.
A divulgação dos roteiros tem como objetivo apoiar a qualificação da cadeia produtiva do turismo e a implantação de infraestrutura básica e turística nessas localidades, além de ações de educação ambiental apoiadas pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), Ministério dos Esportes (ME) e Ministério do Turismo (Mtur).
Turismo de Base Comunitária no Amazonas
A comunidade Santa Helena do Inglês construiu uma pousada comunitária, visando atender os turistas que vierem acompanhar o torneio de futebol. O empreendimento foi construído em parceria com o componente Renda do Programa Bolsa Floresta (PBF), gerenciado pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e financiado pelo Fundo Amazônia/BNDES. A pousada conta com oito quartos para quatro pessoas cada. As diárias giram em torno de R$ 80, com café da manhã incluso.
O roteiro da margem esquerda conta com as comunidades Colônia Central, São João do Tupé, Julião, Bela Vista, São Sebastião e Nova Esperança, incluindo atrativos como canoagem, banho de rio e pesca cabocla.
Ambos roteiros são resultados de uma soma de esforços da FAS, Centro Estadual de Unidades de Conservação (CEUC/SDS), Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMMAS), Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ), ONG Nymuendaju e do Fórum Permanente de Defesa das Comunidades Ribeirinhas de Manaus (Fopec).
Fonte: Lead

“O Brasil dá um passo importante para ampliar a segurança”

Rio de Janeiro (10 de junho de 2014) – A entrevista abaixo foi produzida pela equipe do Centro Aberto de Mídia (CAM) João Saldanha, no Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro.
CAM - Como o País se preparou para oferecer segurança às populações das cidades, aos turistas, torcedores e às autoridades durante a Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014?
Secretário Andrei Rodrigues - O Brasil vem se preparando para isso desde que ganhou esse prêmio de realizar a Copa, que é também um desafio. A Secretaria de Grandes Eventos foi constituída em 2011 para fazer toda essa coordenação de segurança. A preparação se deu basicamente em três pontos: construção da infraestrutura necessária, planejamento integrado junto com forças de segurança e execução da operação também. Foram montados centros regionais de comando e controle que reúnem todas as instituições, não só de segurança pública, mas que têm alguma participação na segurança do evento. É um ambiente único e dotado do que há de mais moderno na tecnologia mundial em termos de segurança pública e onde a gente tem essa capacidade de segurança integrada. Os planejamentos foram construídos junto com as forças estaduais e dos municípios, caso de trânsito e saúde, e agora [trabalham juntos] na execução de todo esse planejamento. Não há uma ação que seja feita por uma instituição isolada.
CAM - Qual o posicionamento do governo em relação a possíveis manifestações e protestos contra a Copa?
Andrei Rodrigues - O posicionamento é claríssimo. Manifestação é um direito constitucional. O Brasil é um país livre e democrático, e é um dever da segurança pública garantir o exercício desse direito. O que a gente tem que separar muito é a existência de violência, atos criminosos e de vandalismo que se inserem nessas manifestações. Teremos uma resposta muito forte de não tolerância às ações de vandalismo, ações criminosas que tentem se aproveitar desse momento de alegria, de festa que o Brasil vive. Não tolerância é aplicação da lei. Existe uma legislação que tipifica diversas condutas como depredações e saques, que são consideradas crimes.
CAM - Quais as mudanças proporcionadas pelos grandes eventos para a gestão da segurança pública no Brasil? Qual o valor do investimento e o que fica para a população após a Copa?
Andrei Rodrigues - O valor do investimento de segurança pública e defesa é de R$ 1,9 bi. Uma premissa fundamental é que esse investimento em segurança pública tem que ser útil para o cotidiano. Há bens materiais que ficam, como os Centros de Comando e Controle, delegacia móvel, sistema de filmagem por helicóptero, Centros de Comando e Controle Móvel, uma extensa lista de benefícios. Mas o ponto principal é o benefício imaterial, que é a capacidade de trabalho em conjunto, integrado. O Brasil dá um passo importante para ampliar a segurança. Não tenho dúvida de que nessas cidades onde haverá Copa, a estrutura de segurança pública está um passo à frente em estrutura, investimento e capacidade de atuação integradas.
CAM - Há ações articuladas com entidades de segurança internacionais?
Andrei Rodrigues - Sim. Um dos mais importantes eixos da segurança da Copa é a cooperação internacional. Temos já mais de 40 países com policiais aqui que farão parte do centro de cooperação policial internacional em Brasília e também estarão junto com suas seleções e delegações onde houver jogos de seus países. Eles não estarão portando arma, não tem poder de polícia aqui, mas atuarão como importantes colaboradores. Há uma permanente troca de informações via Interpol, que congrega centenas de países, há listas de torcedores, como é o caso concreto da Argentina, do Reino Unido – que proíbe que torcedores com histórico de violência saiam do país.
CAM - O senhor pode dar mais detalhes sobre como funcionam os Centros de Comando e Controle nas cidades-sede e como el es continuarão a ser usados depois da Copa?
Andrei Rodrigues – O centro é um ambiente que recebe informações de várias instituições, não só policiais, mas também Receita Federal, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Ministério das Relações Exteriores, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Ministério da Defesa, Comitê Organizador Local da FIFA, e que ali recebem informações e elas são difundidas por todos e para todos permitindo que todos tenham conhecimento ampliado da gestão do processo. Por exemplo, agente de trânsito pode estar recebendo informações importantes de sua central que vão impactar em uma rota protocolar. Então, ele passa para o centro, que repassa para as polícias Militar e Federal, de forma que se faça o readequação daquela rota. Pós-Copa, esse centro será o ambiente em que as polícias estarão ali integradas: civil, militar, e bombeiros. Também deverá chamar outras forças para atuar – como Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Abin, Defesa – para que tenham permanente intercâmbio. A parte operacional, o conhecido 190 (número para emergências), passará a contar com toda essa tecnologia e sistemas, com todo esse conhecimento, todo esse aparato disponível para o cotidiano das cidades. 

terça-feira, 10 de junho de 2014

Mineiro assume liderança do Ranking CAIXA CBAt

Da Assessoria de Imprensa da CBAt Fonte: CBAt
Valdir Sérgio: novo líder (Fernanda Paradizo/adorofoto) O mineiro Valdir Sérgio de Oliveira, terceiro colocado no ano passado, assumiu a liderança do Ranking CAIXA CBAt de Corredores de Rua-2014, após ser o brasileiro mais bem classificado na etapa de Goiânia do Circuito Caixa de Corridas, disputada no último domingo 8.

 Valdir, bronze na capital goiana, agora soma 207 pontos, após a 10ª prova das 29 previstas para a temporada deste ano, segundo divulgação da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) nesta terça-feira 10, por meio de Nota Oficial. O baiano Sivaldo Viana, que liderava, agora está em segundo lugar, com 200 pontos, numa disputa apertada.

 No feminino, a pernambucana Fabiana Cristine da Silva manteve o primeiro lugar na classificação, com 210 pontos - 23 de vantagem sobre a paulista Fernanda Raimunda Soares, vice-líder. A 11ª etapa do Ranking CAIXA/CBAt-2014 será a Corrida Internacional 9 de julho, marcada para Boa Vista, em Roraima, no próximo dia 9 de julho.


 Classificação parcial após 10 etapas Masculina 1-Valdir Sérgio de Oliveira - 207 pontos 2-Sivaldo Santos Viana - 200 3-Ivanildo Pereira dos Anjos, o Gomes - 161 4-José Márcio Leão - 115 5-Giomar Pereira da Silva - 111 6-Willian Salgado Gomes - 103 7-Laurino Nunes Neto - 86 8-Jurandy Couto Junior - 81 9-Francisco Ivan da Silva Filho - 64 10-Giovani dos Santos - 60 Feminina 1-Fabiana Cristine da Silva - 210 pontos 2-Fernanda Raimunda Soares - 187 3-Maria Regina Santos Saguins - 138 4-Rosiane Xavier dos Santos - 124 5-Joziane da Silva Cardoso - 111 6-Maria Bernadete Cabral - 100 7-Cruz Nonata da Silva - 93 8-Kleidiane Barbosa Jardim - 63 9-Graciete Moreira Santana - 48 10-Marily dos Santos - 47

Vídeos: o que o Brasil ganha com a organização da Copa do Mundo?

Entenda os investimentos feitos pelo país e veja de que forma eles se consolidam como legado para a população



Polícia Federal barra argentino que constava em lista de torcedores violentos

Estrangeiro desembarcou em São Paulo nesta segunda, mas já foi enviado de volta

 A Polícia Federal no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, inadmitiu nesta segunda-feira (09.06) a entrada de um torcedor argentino cujo nome constava em uma lista de integrantes do grupo Barra Brava, conhecido por atos violentos em jogos de futebol.

 O estrangeiro desembarcou por volta das 9h de ontem em voo proveniente da cidade de Rosário, na Argentina, e tinha a cidade do Rio de Janeiro como destino final.

Na cabine de imigração ele foi identificado como integrante dessa lista. A lista foi encaminhada ao Brasil pela Interpol, em cooperação policial internacional entre as polícias brasileira e argentina, com o objetivo de prevenir atos de violência durante os jogos da Copa do Mundo. O argentino já esteve no Brasil em outras oportunidades e foi reembarcado. Fonte: Polícia Federal

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Inauguração do Centro de Treinamento da Fifa deixa Foz do Iguaçu pronta para receber seleção da Coreia do Sul

  
Foto: Nilton Rolin/Itaipu Binacional.
Espaço será a casa da seleção da Coreia do Sul durante o Mundial. Jogadores e comissão técnica chegam na quarta-feira, quando farão um treino aberto

Na véspera de seu centenário, Foz do Iguaçu abriu as portas do Centro de Treinamento de Seleções (CTS) – Fifa Brasil 2014 nesta segunda-feira (9), no Flamengo Esporte Clube, para a inauguração do espaço.
A solenidade reuniu autoridades e selou uma conquista histórica para a cidade – escolhida como casa da seleção da Coreia do Sul durante o Mundial. A construção do CTS teve o apoio da Itaipu Binacional e do Fundo Iguaçu.
Quando desembarcarem no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, às 11h desta quarta-feira (11), o elenco sul-coreano terá à disposição uma estrutura de treinamento “padrão Fifa”. Com a reforma, o estádio Pedro Basso, do “Flamenguinho”, ganhou o mesmo tipo de gramado usado no Maracanã e demais estádios da Copa.
É neste gramado e no suporte de uma academia moderna, a “Espaço Movement”, que a Coreia do Sul fará seus treinos. O primeiro deles será na própria quarta-feira, às 17h, e será aberto ao público. O acesso será restrito a 800 pessoas, capacidade fixada pela Fifa e Corpo de Bombeiros.
“O coração de iguaçuense pulsa muito forte nessa hora ao celebrarmos 100 anos de Foz com esta conquista. Foi uma colaboração de todos os poderes e da iniciativa privada para atingirmos esse objetivo”, disse o diretor-geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek, na cerimônia.
Também participaram da solenidade o presidente do Flamengo Esporte Clube, Sérgio Beltrame; o prefeito de Foz do Iguaçu, Reni Pereira; o presidente do Fundo Iguaçu e superintendente de Comunicação Social de Itaipu, Gilmar Piolla; o comandante da 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada de Cascavel, general Altair Polsin, além de deputados, vereadores e ex-prefeitos Térsio Albuquerque, Perci Lima e Wádis Benvenutti.
A execução das melhorias foi possível graças a uma parceria entre Fundo Iguaçu, Itaipu, Flamengo Esporte Clube, Plano de Saúde Itamed, Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu, Movement, Cataratas do Iguaçu S/A, Macuco Safari e Chocolate Caseiro.
“Este é o resultado de uma somatória de forças do poder público e da iniciativa privada para viabilizar um empreendimento que deixa legado à cidade, ao esporte e ao turismo, com a perspectiva de receber grandes clubes em pré-temporada”, afirmou Gilmar Piolla.
Segundo o presidente do Flamengo Esporte Clube, Sérgio Beltrame, outros times europeus já demonstraram interesse em usar o CTS em suas pré-temporadas, por meio da parceria com o Bourbon. “Fica um legado para o Flamengo, como estrutura, mas principalmente para a cidade de Foz, que tem condições de oferecer este Centro de Treinamento para treino de outros clubes”, afirmou.

Reforma

O novo campo foi construído seguindo rigorosas exigências da Fifa, com sistema de drenagem e irrigação computadorizados. Foram feitos ainda novos vestiários para jogadores e comissão técnica, sala de fisioterapia, recuperadas arquibancadas, construídas de novas em calçadas em paver e piso drenante e instalada uma academia com equipamentos última geração, cedidos pela Movement.
As melhorias fora do gramado também foram evidentes. O ginásio de esportes foi totalmente reformulado e transformado em um centro de mídia (media center). O local deve receber cerca de 200 jornalistas, metade deles sul-coreanos.
O Destino Iguaçu deve ganhar projeção com a vinda dos jornalistas. “Temos perspectiva de retorno extraordinário com mídia espontânea, de no mínimo cem vezes o valor investido”, disse Gilmar Piolla. Até o fim da Copa, também devem passar pelo Destino Iguaçu 100 mil visitantes.
Do media centerdeve ser gerado conteúdo para mais de 50 milhões de espectadores na Coreia do Sul e de muitos outros países, incluindo o Brasil. O espaço será inaugurado no dia 13. Após a Copa, ele deve servir às escolinhas de futsal do Flamenguinho.
“Corremos contra o tempo e a burocracia e graças ao dinamismo da equipe envolvida temos hoje o Centro de Treinamento”, disse o prefeito Reni Pereira. “Agradeço àqueles que tiveram papel importante nesta conquista, uma prova de que, quando a vaidade é deixada de lado e todos somam no mesmo sentido, as coisas acontecem”, completou.

Torcida de casa

O Centro de Treinamento fica a 11,4 km do aeroporto e a 1,5 km do Hotel Bourbon Cataratas, onde a seleção sul-coreana ficará hospedada. A proximidade é uma das facilidades que levaram à escolha. Outra é a acolhida dos conterrâneos: são cerca de mil sul-coreanos e descendentes vivendo na região.
 Se o desempenho da Coreia do Sul for semelhante ao da última Copa, os asiáticos devem ficar em Foz até as oitavas-de-final. Em 2012, eles ganharam bronze nos Jogos Olímpicos. Seis jogadores que virão ao Brasil participaram desta última conquista.

A Coreia do Sul está no Grupo H, com as seleções da Bélgica, Argélia e Rússia. A seleção sul-coreana estreia na Copa do Mundo no dia 17 de junho, às 18 horas, contra a Rússia, em Cuiabá. Depois, joga no dia 22 contra a Argélia, em Porto Alegre. Encerrará a primeira fase contra a Bélgica, no dia 26, em São Paulo.

Time de basquete masculino profissional de Osasco contrata técnico que esteve à frente da seleção brasileira

Por Ricardo Datrino

Equipe ainda ganha armador-lateral, Leandrinho, do Fênix Suns, como padrinho do elenco de Osasco

Na tarde desta terça-feira (10), o prefeito Jorge Lapas anuncia, em coletiva de imprensa, na Sala de Reuniões do Gabinete, a contratação do treinador Ênio Vecchi, de 54 anos, no comando do time de basquete profissional da cidade. O evento acontece às 17h30 na avenida Bussocaba, 300, Centro.

O consagrado técnico da modalidade já esteve à frente da seleção brasileira feminina em 2010 e até o ano passado comandava o Palmeiras. Junto do anúncio, o time também ganha o armador-lateral, Leandro Barbosa, o Leandrinho, do Fênix Suns, como padrinho do elenco de Osasco. Leandrinho é jogador da NBA (Liga de Basquete Norte Americana) e destaque da seleção brasileira, sendo um dos grandes nomes do basquete mundial.

Como técnico da seleção brasileira feminina de basquete, Ênio comandou o time no projeto olímpico. Ele permaneceu até dezembro de 2011 como treinador do elenco brasileiro. Vecchi liderou a seleção no pré-olímpico das Américas e nos Jogos Panamericanos de Guadalajara, no México, em que foi medalha de bronze. Ênio ainda contabiliza passagens por vários clubes de São Paulo e demais estados, participando das últimas edições da NBB (Liga de Basquete Brasileira) e das seleções brasileiras masculina e feminina. O treinador é conhecido pelo estilo de comando tranquilo, agregador e com muito conhecimento, o que transmite segurança ao atleta.

O time de basquete de Osasco disputa a segunda temporada do Campeonato Paulista, Divisão Especial A-1, é o 5º colocado com 14 pontos em 10 jogos. Ênio Vecchi estreia nos Jogos Regionais, que iniciam-se na cidade no dia 18 de junho.

A coletiva de imprensa conta ainda com a presença de Arthur Barbosa, irmão de Leandrinho, que o representará.

Serviço:

Coletiva de imprensa do anúncio do técnico Ênio Vecchi

Data: 10/06/2014, às 17h30

Local: Avenida Bussocaba, 300, Centro Prefeitura do Município de Osasco

Como educar as crianças com a Copa¿

Pesquisadora indica como podemos usar os conceitos e conflitos do evento para educação dos filhos Ana Vasconcelos O Futebol faz parte da nossa identidade nacional. Brasileiros amam futebol e amam a Copa do Mundo. Tenho lembranças saudosas de quando era menina e sentia uma vibração enorme com a reunião da família em ano de Copa. Bandeirinhas, cornetas, comida gostosa e muitos gritos compunham um cenário que instigava nossa união não apenas enquanto família, mas como nação. A copa de 2014 é especial pelo fato de ser aqui, em terra brasileira. Mas, essa proximidade nos coloca frente a frente com os problemas ligados à Copa, como a corrupção, gastos indevidos, desorganização e o sentimento generalizado de frustração com a política brasileira. Sem dúvida, isso afeta também a experiência das crianças. Semana passada tive que responder à indagação preocupada do meu filho de oito anos: “Mãe, por que naquele cartaz tem escrito que não vai ter copa? Isso é verdade ou é armação? ”. As crianças maiores poderão questionar o que está acontecendo e não seria justo simplesmente agir como se tudo sobre a Copa fosse só alegria. Como pais e educadores, não devemos ter medo de ser francos sobre os aspectos negativos da Copa. Por outro lado, não podemos deixar que esses problemas ofusquem o que ela traz de melhor: o encantamento pelo esporte, a experiência de torcer em família e entre amigos, o sentimento de unidade nacional e o aprendizado sobre como o esporte pode aproximar gente de todo o mundo. Tudo isso é educar. Ou seja, é acompanhar as crianças no seu crescimento como pessoas e cidadãs. Ana Vasconcelos é educadora e pesquisadora no Instituto Presbiteriano Mackenzie. Foi professora e realizou trabalhos comunitários na África, Estados Unidos e Inglaterra. Escreve o blog Pérolas & Panelas. (http://www.perolasepanelas.com.br/)

RELÍQUIAS DO FUTEBOL EM “ESPORTE MOVIMENTO”

Bolas e chuteiras que ajudam a contar a história do futebol mundial estão entre os itens presentes na mostra que reúne cerca de dois mil objetos e apresenta peças que podem ser tocadas pelos visitantes. A Caixa Cultural São Paulo apresenta, de 20 de maio a 20 de julho de 2014, a exposição “Esporte Movimento”, uma seleção de aproximadamente dois mil peças da coleção de mais de 70 mil itens esportivos pertencentes ao colecionador Roberto Gesta de Melo. A mostra, inédita no Brasil, é gratuita e conta com o patrocínio da Caixa Cultural e do Governo Federal. Entre os itens da exposição que contam a história do futebol, está a bola do segundo mundial entre seleções organizado no mundo. A edição foi a primeira a contar com eliminatórias, uma vez que o número de seleções inscritas foi muito alto. A bola possui 12 gomos e é feita em couro. A mostra possui também uma par de chuteiras francesas, datado do meio do século XX e precursor das chuteiras modernas. Trata-se dos primeiros passos do que seria o constante aperfeiçoamento dos calçados esportivos, processo que articularia duas dimensões: uma preocupação com a eficiência (possível em função do desenvolvimento da biomecânica) e com a beleza (a indústria da moda investe pesado no design desses produtos, inclusive retirando-o do exclusivo campo das lides esportivas para outros espaços sociais). Outra peça que pode ser vista na exposição é uma réplica da bola utilizada no mundial de 1950, no Brasil. Visitada por mais de 1900 pessoas em menos de duas semanas, “Esporte Movimento” é um recorte da maior coleção privada de artefatos esportivos do mundo. Durante a exposição, os visitantes poderão apreciar selos, moedas, troféus, tochas, fotografias, vídeos, medalhas originais e demais objetos relacionados ao esporte. Além disso, em uma área específica da exposição, o público poderá tocar em uma tocha. A ação visa à inclusão de deficientes visuais na mostra. O projeto procura apresentar um panorama das mais diferentes dimensões que cercam a prática esportiva. Composta por oito núcleos, a exposição fará um passeio pela história do esporte, começando pelas pinturas rupestres e chegando até os dias atuais. Durante a exposição, haverá, ainda, homenagem a diversos esportistas, que tiveram grande importância para o cenário histórico do esporte mundial. Sobre o curador: Roberto Gesta de Melo, representante da América do Sul no Conselho da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF), é presidente da Confederação Sul-Americana de Atletismo (CONSUDATLE) e da Associação Ibero-Americana de Atletismo (AIA). Dono de uma das maiores coleções particulares de itens esportivos do mundo, foi presidente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), vice-presidente da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) e secretário de Esportes do Governo do Estado do Amazonas. Nascido em 22 de março de 1945, em Manaus (AM), é graduado em direito pela Universidade Federal do Amazonas. Filho de Roosevelt Pereira de Melo e Avelina Leal Gesta de Melo, casado com Maria da Conceição Sales, é pai de Hélio, Paulo, André, Arthur e Maria Helena e avô de Fernanda e Flávia. Entrevistas: Seven Star Comunicação e Marketing Aline Borba e Heloisa Castro aborba@sevenstarmkt.com.br ou heloisa@sevenstarmkt.com.br (21) 3352-1905 - (21) 97901-9575 – (21) 98017-0300 Serviço: Exposição “Esporte Movimento” Visitação: 20 de maio a 20 de julho de 2014 Horário: de terça a domingo, das 09h às 19h. Local: CAIXA Cultural São Paulo – Praça da Sé, 111 – Centro/SP Informações: (11) 3321-4400 Classificação etária: Livre Entrada Franca Acesso para pessoas com deficiência Produção: Arte Impressa Patrocínio: Caixa Econômica e Governo Federal Facebook: http://www.facebook.com/ExposicaoEsporteMovimento

sábado, 7 de junho de 2014

NATUREZA




Novos escritores: algumas dicas sobre a publicação de livros

Encontrar o melhor meio de publicar um livro pode ser tão importante quanto escrevê-lo. Escritores novatos sofrem de muita angústia ao buscar um meio de publicação daquele livro que lhe custou tantas e tantas horas de trabalho solitário. A imagem que lhes vem à mente é a de ter seus originais sendo lidos e aprovados por editores rigorosos e, consequência disso, um livro publicado e colocado à venda nas vitrines de todas as boas livrarias, resultando daí fama e glamour. Seria bom se isso fosse verdade para todos os escritores, mas fazer sucesso com um livro equivale a uma loteria: ínfimas probabilidades de glória e fortuna. Nossa experiência com muitas centenas de autores nos leva a procurar desmistificar o processo, apresentando aqui algumas informações bem sobre publicação de livros. Basicamente, há três formas de se publicar um livro: editoras convencionais, editoras de autopublicação e plataformas automáticas. A publicação convencional O método convencional é aquele em que a editora arca com todos os custos de publicação e distribuição às livrarias, pagando ao autor percentuais que variam entre 5% e 10% do preço de capa. Editores recebem, diariamente, a média de uma dezena de originais. Há casos em que o número é bem maior. Sejam quantos foram, a decisão de publicar um livro parte, primeiramente, do critério financeiro, porque a publicação de um livro pelo modelo tradicional custa caro. Depois, passa pela adequação ao “momento” do mercado leitor, ou seja, quais são os temas da moda. Política? Autoajuda? Literatura? Só depois que é que o editor vai-se ater ao perfil do autor e à qualidade do livro em si mesma. As editoras brasileiras despejam mensalmente no mercado algo em torno de dois mil novos títulos dos mais variados gêneros. Este número não engloba reedições nem novas tiragens. Nos dois ou três meses que antecedem a Bienal do Livro, o volume mais que dobra. Se considerarmos que cada livro publicado representa uns nove outros rejeitados e, desses todos, incalculáveis originais que sequer foram lidos, não será difícil concluir que as probabilidades de se publicar um livro pelo processo tradicional são muito pequenas. Prós e contras. A vantagem deste método é o autor não ter qualquer custo com a publicação e ter seu livro distribuído em vários pontos de venda. A desvantagem está na dificuldade de ter seu livro aceito para publicação. A autopublicação Autopublicação é o processo em que o autor paga para publicar sua obra. Há várias editoras disputando este mercado. E vários autores consagrados começaram pelo caminho da autopublicação. No geral, as editoras de autopublicação trabalham bastante bem e oferecem rigorosamente todos os serviços das convencionais, indo da revisão de texto até a obtenção de ISBN. Mas, como em todo mercado, há grandes variações de qualidade e preços. Por isso, o autor deve ter atenção redobrada na hora de contratar uma editora. A distribuição também poderá variar, de acordo com os canais escolhidos por cada editora. Esses canais podem não incluir as tradicionais redes livreiras. De todo modo, a distribuição pela Internet, seja em loja da própria editora, do próprio autor ou de terceiros, na prática, dá conta do recado. Prós e contras. Vantagem: certeza da publicação e, a depender da editora, também da distribuição. Além disso, o autor é dono integral da obra, pois não cederá seus direitos a terceiros. E há de se considerar, ainda, a possibilidade de criar, fácil e gratuitamente, uma loja virtual na internet, fazendo vendas diretas a leitores de todo o Brasil e do mundo; nesse caso, a impressão por demanda, de pequenas tiragens, ajuda o autor a manter um estoque regulador de acordo com suas vendas, sem necessidade de imprimir centenas ou milhares de exemplares. Desvantagem: não é grátis. As plataformas de publicação automática Bastante utilizadas nos EUA e Europa, mas ainda engatinhando no Brasil, as chamadas plataformas automáticas são sites onde o autor faz sozinho todo processo de publicação. Cria-se um cadastro gratuito com login e senha, como em qualquer outro site, e tem-se acesso a um tutorial que mostra, passo a passo, como editar e publicar um livro. Assim, o autor envia ao site seu texto escrito no Word, por exemplo. O arquivo será automaticamente ajustado às características previamente escolhidas, como formato do livro (altura X largura) em centímetros, recuo do texto em relação às margens etc. O autor também poderá escolher o tipo de papel e, ainda, cuidar da capa, normalmente feita a partir de modelos padronizados, enviando uma imagem previamente escolhida para isso. Finalmente, poderá ver uma prévia do livro entes de colocá-lo à venda no próprio site. As plataformas mais modernas dos EUA e Europa – e apenas uma aqui do Brasil –, também permitem que o autor determine o preço de venda de seu livro e, com isso, sua margem de lucro, além de poder acompanhar online os resultados de vendas e valores a receber, que serão creditados diretamente em sua conta bancária. Prós e contras. A principal vantagem deste sistema é a gratuidade, além de normalmente se contar com bons papeis e boa impressão. Mas fica a desvantagem de se ter um livro com aspecto muito amadorístico, com defeitos de edição, já que não houve a participação de profissionais do ramo, como revisores, diagramadores, capistas etc. Nasceu um livro de sucesso? Cumpre notar que existe um mito a ser combatido, o de que a editora, seja lá qual for, vai fazer do livro um sucesso. Mas nenhuma editora do mundo, grande ou pequena, “faz” o sucesso do livro. Algumas editoras grandes até têm lá seus departamentos de divulgação, o que aumenta as chances, mas isso ainda não é garantia de nada. Quem faz o sucesso de um livro é o público, somente o público. Daí, pode-se facilmente deduzir que o sucesso de um livro nasce do imponderável, de uma pitada de sorte e, sobretudo, do empenho do próprio autor. Porque, analogamente, pode-se dizer que uma editora é como uma maternidade: ajuda a trazer a criança ao mundo, mas quem a cria são seus pais. É dever do autor, portanto, cuidar da divulgação de sua obra com todo carinho e, principalmente, continuidade obstinada nos esforços de divulgação, seja lá pelos meios que estiverem ao seu alcance. No mercado editorial pode até existir sorte, mas não existe mágica. Assim, seja lá qual for o sistema preferido, cabe ao autor examinar cuidadosamente as opções de publicação e, claro, preparar-se muito bem para a longa jornada que o aguarda, desde a publicação até o sucesso, que, esperamos, venha em breve.

Ilumideias, novo livro de haicaisde Silas Correa Leite

ILUMIDEIAS, HAICAIS – Resumo, o livro novo de Silas Correa Leite Apresentação: haicai é o denominador comum das poesias todas” Mas...